HIGHER EDUCATION – Você já pensou em fazer faculdade no exterior?

01 de abril de 2010 | Postado por Marina em Bolsas de Estudo

 

Os programas de High School (colegial no exterior) e de cursos de idiomas no exterior estão consolidados já há alguns anos como alternativas de intercâmbio para brasileiros, seja enquanto ainda estão na escola ou antes, durante ou depois do curso superior no Brasil. No entanto, seguindo os passos de asiáticos, russos e árabes, nos últimos anos, muitos brasileiros estão buscando também fazer graduações no exterior. Para tanto, o primeiro passo é obter uma fluência do idioma seja no Brasil ou no exterior e, preferencialmente submeter-se a um teste com o TOEFL ou IELTS para poder, através de um certificado internacionalmente reconhecido comprovar a proficiência requerida no Inglês e poder ingressar em um College ou University no exterior.

O segmento de educação internacional dos países desenvolvidos, principalmente os de língua inglesa, vê o crescimento deste fenômeno com grande otimismo já que isto representa uma receita interessante para suas instituições de ensino de seus países. Dentre os países que mais investem na divulgação de suas instituições no mercado externo, podemos destacar a Austrália, a Nova Zelândia, a Inglaterra, o Canadá e os EUA.

Em termos de investimento, podem-se encontrar bons cursos superiores no Canadá, na Austrália e na Nova Zelândia a preços bem coerentes as graduações no Brasil, Já nos EUA e Inglaterra, deve-se ter uma programação de gastos um pouco maior. Em contrapartida, o EUA, por sua vez, oferece muitos programas de bolsas integrais e parciais para excelentes alunos academicamente ou com resultados representativos em esportes. às perspectivas de trabalho, pessoas com visto de estudante a partir de 16 semanas podem trabalhar legalmente na Austrália, o mesmo acontece na Inglaterra e na Irlanda para cursos superiores há 25 semanas. Já na Nova Zelândia e Canadá, é requerido um tempo maior, cerca de dois anos ou um ano respectivamente. No caso dos EUA, normalmente os estudantes aplicam para um OPT que é uma permissão de trabalho legal por um ano após terminar o programa de estudos.

É importante ressaltar que, as regras quanto a permissões para estudantes trabalharem legalmente nestes países estão sujeitos a alterações, portanto, a dica é, antes de escolher o destino, checar ainda no Brasil com o consulado ou embaixada do país escolhido. Esta é a melhor forma de sentir-se seguro quanto a esta questão.

 O STB acaba de lançar os programas esportivos e acadêmicos da International Doorway to Education & Athetics (IDEA), organização especializada no recrutamento e na colocação de estudantes em universidades dos EUA; As bolsas esportivas são nas modalidades de futebol, basquete, tênis e golfe e podem variar entre 50% e 100% em relação ao valor da mensalidade da instituição, incluindo acomodação e alimentação. Para concorrer, o candidato deve ter boas notas, estar cursando o último ano do ensino médio, ou universidade ou ser recentemente graduado. Deve ter entre 16 e 26anos e, sobretudo, ser hábil no esporte que pratica sem ser atleta profissional.

As inscrições para as bolsas atléticas terminam em junho. Os cursos podem começar em agosto ou em janeiro do ano seguinte.

Os cursos superiores no Exterior podem ter duração a partir de um ou dois anos (equivalente à escola técnica no Brasil), quatro anos para a maioria dos cursos superiores em universidades e, cerca de seis anos para cursos como Direito e Medicina. Já que, nestes casos, precisa-se realizar uma graduação de quatro anos na área de Humanas ou Saúde, por exemplo, para que só depois se realize estudos na área de Direito ou Medicina, pois estes são considerados como uma especialização ou Master a serem realizados nos dois anos subseqüentes.

Morar por mais de um ano em outro País nem sempre é uma coisa fácil, portanto, para escolher a universidade e o curso ideal no exterior, é importante pesquisar desde informações sobre o  país, o tamanho da cidade e o clima  até o ranking da universidade na área pretendida. É importante também levantar custos tanto para o curso, quanto para a acomodação e a sua manutenção no exterior bem como, as regras para obtenção do visto e para estudantes trabalharem.

Beijos,

Marina

  1. Oi Marina,

    Tudo bom?

    Primeiramente gostaria de parabenizá-la pelo livro. Ainda nao li mas estou muito interessado. Sou fundador do http://www.E-Dublin.ie, o maior site de auxilio a intercambistas brasileiros na Irlanda. Fomos premiados 2 vezes e finalistas dos melhores blogs da Irlanda (Irish Blog Awards). Temos uma média de 30 mil visitas por mes, 18 mil visitantes únicos.

    Gostaria de tentar marcar uma rápida entrevista com voce (pode ser via skype/ou email mesmo) e saber se voce tem interesse em nos enviar alguns exemplares do seu livro pra serem sorteados pros nossos leitores.

    Fico no aguardo!

    Obrigado
    Edu

    Eduardo Giansante
    http://edugiansante.com
    http://www.e-dublin.com.br


  2. Olá Eduardo! Que interessante iniciativa, muito legal! Será um prazer participar do sorteio.
    Me passe por favor q quantidade de exemplares bem como, o endereço de envio com cep.
    Obrigada, Abs, Marina.


  3. This post is good.


  4. Great Post!


  5. gostaria de saber sobre jovens que tiveram expriencia em universidades no exterior com bolsas esportivas. jogo basquete e quero muito ter uma experiencia fora do Brasil e quem sabe me profissionalizar. agradeço se alguém puder me dar uma dica.


  6. Olá Gustavo! tudo bem? o IDEA promove este tipo de intercâmbio: http://www.facebook.com/pages/INTERNATIONAL-DOORWAY-TO-EDUCATION-ATHLETICS-IDEA/128445493833676 Abs, Marina


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *