define('DISABLE_WP_CRON', true); Blog Intercambio A a Z por Marina Motta - Part 40

Aproveite as férias para turbinar o Currículo!

05 de maio de 2011 | Postado por Marina em Intercâmbio de A a Z

Se você quer aproveitar estas férias de julho para aperfeiçoar seus conhecimentos em inglês, espanhol ou francês, saiba que ainda dá tempo! Seguem aqui algumas sugestões:

ESTADOS UNIDOS
 Escola/Centro  INTRAX INTERNATIONAL INSTITUTE/San Diego
 Tipo de curso  Business English (Inglês para negócios)
 Data de inicio  04/07/2011
 Duração do curso / Carga horária  4 Semanas – 20 Lessons/week
 Tipo de acomodação / Quarto Casa de família com quarto individual
 Plano de refeições Meia Pensão
Pacote   USD 2.420,00 ( ou, em 12 x fixas no cartão)
ARGENTINA
Escola/Centro  COINED/Buenos Aires
 Tipo de curso  Espanhol
 Data de inicio  04/07/2011
 Duração do curso / Carga horária  4 Semanas – 20 Lessons/week
 Tipo de acomodação / Quarto Apartamento compartilhado com outros estudantes (quarto duplo)
 Plano de refeições Sem refeições
Pacote: USD 1.605,00 (ou, em 12x fixas no cartão)
FRANÇA
 Escola/Centro  EUROCENTRES/Paris
 Tipo de curso  Francês
 Data de inicio  04/07/2011
 Duração do curso / Carga horária  4 Semanas – 20 Lessons/week
 Tipo de acomodação / Quarto  Host Family – Single Room (Casa de família, quarto individual)
 Plano de refeições Café da manha incluso
Pacote   EUR 2.294,00 ( ou em 12x fixas no cartão)
INGLATERRA
Escola/Centro  EUROCENTRES/Londres
 Tipo de curso Inglês
 Data de inicio  04/07/2011
 Duração do curso / Carga horária  4 Semanas – 20 Lessons/week
 Tipo de acomodação / Quarto  Host Family – Single Room (Casa de família, quarto individual)
 Plano de refeições Café da manha incluso
Pacote   GBP 1.252,00 (Ou em 12x fixas no cartão)

EM TEMPO: Colaborei com a matéria APROVEITE AS FÉRIAS PARA TURBINAR O CURRÍCULO do jornalista Tércio Amaral no Jornal Diário de Pernambuco deste Domingo.Parabéns pela matéria Tércio!

 

Quer mais informações,  ligue: (81) 2123-4522 ou acesse: www.stb.com.br

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

Dia das Mães: Intercâmbios que são a cara dela! Cursos nos exterior sem limite de idade e de diversão!

04 de maio de 2011 | Postado por Marina em Intercâmbio de A a Z

Que Intercâmbio não tem idade muita gente já sabe!

No entanto, poucos filhos já pensaram em presentear suas mães com um curso no exterior.  E, muitas mães nunca cogitaram a possibilidade de que elas também podem fazer um curso no exterior e voltar melhor e diferente de uma viagem.

Minha mãe, por exemplo, já fez três intercâmbios. Há cerca de 10 anos, ela passou um mês estudando inglês em Londres e, mais recentemente, como adora cozinhar, e arrasa no francês, fez dois cursos no CORDON BLEU (escola de gastronomia) em Paris e obviamente amou!

Fazer um curso de línguas como:  inglês, francês, italiano ou espanhol pode ser uma boa desculpa para as mães passarem duas semanas descobrindo melhor algumas cidades como Londres, NY, Paris, Roma, Barcelona ou Buenos Aires….

 Se o maridão tiver preguiça de fazer o curso pode acompanhá-la na viagem e ambos podem compartilhar um flat, um quarto de hotel ou mesmo ficar em um quarto duplo em uma casa de família. Na parte da manha, aulas e, à tarde, prática in loco passeando e fazendo uma segunda Lua de Mel à dois.

Já se a mãe estiver indo solo ou, na companhia de uma amiga, também não faltará oportunidades de conhecer colegas na escola e de passear depois da aula.

Neste contexto, existem diversas sugestões interessantes para as “Super mamas” de diferentes estilos combinarem o aprendizado ou aperfeiçoamento de um idioma com aulas com  foco em algum interesse específico. Aqui seguem apenas algumas opções:

SUPER MAMY ATIVAR!!!

Escola: ILSC

Local: Toronto ou Vancouver (Canadá)

Curso: Inglês + Ioga

Duração: a partir de duas semanas

 

Escola: Liguaviva

Cidades: Florença ou Roma (Itália)

Curso: Italiano + Culinária, História da arte, pintura ou fotografia.

Duração: a partir de duas semanas

 

Escola: Coined

Cidade: Buenos Aires (Argentina)

Curso: Espanhol + Tango

Duração: a partir de duas semanas

Escola: Don Quijote

Cidade: Barcelona (Espanha)

Curso: Espanhol + História da Arte

Duração: a partir de duas semanas

 

Escola: The London School of English

Local:  Londres (Inglaterra)

Curso: Inglês para advogadas

Duração: três ou quatro semanas

 

Escola: UCSD (University of Califórnia San Diego)

Local: San Diego (EUA)

Curso: Inglês para médicas

Duração: quatro semanas

 

Escola: CLIC

Cidade: Sevilha (Espanha)

Curso: Espanhol + Flamenco

Duração: a partir de duas semanas

E aí, gostaram?!

Espero que sim e que este post possa incentivar uma próxima viagem que, com certeza, será diferente e muito mais enriquecedora do que uma viagem apenas de turismo.

Aproveito  também para desejar um Feliz Dia das Mães!

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

William já era! mas, sempre haverá Londres! TOP 5 Dicas de baladas, compras e cultura na capital Inglesa.

26 de abril de 2011 | Postado por Marina em Inglaterra

Aproveitando  que nesta semana, os olhos do mundo estão voltados para a união Real do príncipe William com Katie Middleton. Evento que vai acontecer nesta sexta-feira na abadia de Westminster (um dos cartões postais da capital inglesa), vamos falar um pouco deste destino:

A Inglaterra é definitivamente um MUST SEE & LIVE do MUNDO e vamos combinar que Londres é a cidade mais apaixonante deste cenário. Pensando nisso, seguem abaixo TOP 5 dicas dos MUST SEE & LIVE – LONDON:

1) Como não pensar em Inglaterra sem lembrar de música?! E, os Pubs e bares de Londres são uma atração à parte: Experimente os: Eclipse, ProudCamdem, Waxy O´Connor´s, Fifty Five Bar & Lounge, o Skretch, a rede Wetherspoon para um tradicional Pub inglês e o Café 1001 para ter um mix de restaurante, lounge e balada.

2) Depois do “esquenta”, uma balada pode ser uma boa pedida, então não deixe de conferir os: The Roxy, The Church, o Koko e o famoso Ministry of Sound.

3) Ok, nem só de baladas vive um jovem, um pouco de cultura é necessário, sinta-se então cult & cool no Tate Modern, ou na Saatchi Gallery e visite também os tradicionais British Museum e o Madame Tussauds – museu de cera com suas reproduções perfeitas das celebridades.

4) Comprar um pouquinho é bom, pois ninguém é de ferro, não é?! Principalmente se for bom, bonito e barato, sendo assim, não deixe de visitar a Primark e a H&M para pechinchas de roupas de acessórios fora de séria. Para eletrônicos, visite a Tottenham Court Road e para livros e Cd´s não abra mão da loja Fopp no bairro de Convent Garden.

5) Quer apenas bater perna e sentir-se  um londrino (a) de verdade? Então não deixe de ir ao mercado de Portobello Road e o Broadway Market. Depois, impressione-se com as esquisitices e excentricidades de Camdem Town ou com o jeito descolado e jovem do bairro Convent Garden.

Chegou a Londres e quer saber o que está rolando na cidade?! Não deixe de conferir a revista Time Out e não perca nenhuma atração do momento!

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

Conhecendo os festejos da Páscoa no Mundo: Happy Easter! Joyeuses Pâques!Schöne Ostern!Felices Pascuas…

20 de abril de 2011 | Postado por Marina em Curiosidades Culturais pelo Mundo

Do hebreu Peseach, Páscoa significa a passagem da escravidão para a liberdade. É a maior festa do cristianismo e, naturalmente, de todos os cristãos e, as origens da Páscoa remontam aos antigos rituais pagãos do início da primavera (que no Hemisfério Norte inicia em março).

Em muitos países, como Alemanha, Áustria, Suíça e Rússia há a tradição de pintar ovos cozidos, ou então as cascas dos ovos são furadas e esvaziadas, e os ovos, depois de pintados, formam árvores e arranjos.

Na Austrália, nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha, as crianças usam gorros ou bonés enfeitados com orelhas e o bolo tradicional de Páscoa é feito desde a Idade Média, com frutas secas e 11 bolas de marzipã em cima, representando os 12 apóstolos, menos Judas.  

Nos Estados Unidos e no Canadá, a brincadeira mais tradicional ainda é a “caça ao ovo”, onde ovos de chocolate são escondidos pelo quintal ou pela casa para serem descobertos pelas crianças na manhã de Páscoa.

Na França, nada de coelhos! São mesmo os sinos que distribuem doces para a alegria de todos e o “Gâteau de Pâques” que é um bolo assado não pode faltar!

Na China o “Ching-Ming” é uma festividade que ocorre na mesma época da Páscoa, onde são visitados os túmulos dos ancestrais e feitas oferendas, em forma de refeições e doces, para deixá-los satisfeitos com os seus descendentes.

Então gente, para quem está no Brasil ou mundo afora, é com muito carinho que eu (e estes dois coelhinhos fofos aqui embaixo) desejamos à todos uma Feliz Páscoa!

 Bjs,

Marina.

MUDANÇAS NAS REGRAS DO VISTO DE ESTUDO NO REINO UNIDO(TIER 4):

20 de abril de 2011 | Postado por Marina em Inglaterra

O Reino Unido é mundialmente reconhecido por ter um dos melhores sistemas de ensino do mundo e, devido a  sua tradição e localização, é  o destino de  milhares de estudantes que optam por estudar em um país estrangeiro.  No entanto, visando garantir que quem entra com um visto de estudante genuinamente irá estudar, o governo está empenhado em minimizar abusos cometidos por aqueles cuja motivação principal não é estudar, mas sim trabalhar e estabelecer-se permanentemente no Reino Unido muitas vezes, até mesmo de forma ilegal.

Por esta razão, a partir de 21 de Abril para solicitar o visto de estudo (TIER 4), será necessário o nível de inglês B1 para cursos de nível pré-universitário, incluindo foundation courses e cursos de inglês. E, o requisito de língua inglesa nível B2 em cada uma das quatro disciplinas (falar, ouvir, ler e escrever) será necessário para cursos em nível de graduação.

Os CAS emitidos até 21 de abril, portanto, antes da obrigatoriedade de um teste de Inglês SELT, ainda serão aceitos por seis meses. Durante esse período, o aluno poderá dar entrada no pedido sem a necessidade de fazer o SELT.  

Alunos de posse de CAS emitidos após 21 de abril terão que demonstrar seu nível de inglês através de um teste SELT e, os oficiais de Imigração passam a ter o poder de recusar a entrada de um portador de visto de estudante que não possa falar inglês sem um intérprete.

No caso da comprovação de fundos para cobrir as despesas do estudante, será preparada uma lista com a relação dos bancos reconhecidamente confiáveis e, portanto aceitos pelo UK Border Agency. Os extratos bancários enviados junto com a solicitação de visto devem ser de uma destas instituições financeiras.  Apenas estudantes de pós-graduação e financiados pelo governo poderão patrocinar seus dependentes. Neste caso, os dependentes terão autorização para trabalhar.

A reforma proposta não visa fechar as portas do país. Trata-se de uma abordagem mais seletiva ao interesse da Grã-Bretanha em adquirir estudantes que procuram uma educação de alta qualidade e evitar que o principal objetivo de um estudante em ir ao Reino Unido seja trabalhar.

Sendo assim, estudantes universitários conservarão o seu direito de trabalhar 20 horas por semana por meio período e de estágios onde a relação de trabalho/estudo é 50% para cada. Estudantes de cursos pré-universitários, inglês e foundation courses  seguem podendo trabalhar 10 horas semanais.

A boa notícia é que estudantes de língua inglesa que desejarem participar de cursos de inglês por mais de seis meses são ainda capazes de aplicar para um visto de estudante visitante, permitindo-lhes estudar no Reino Unido até 11 meses, não sendo, neste caso, necessário comprovar o nível de inglês B1 através do teste SELT, no entanto nesta categoria de “estudante visitante” o participante não poderá trabalhar 10 horas semanais previstas até o momento para o visto de estudante (TIER 4).

Em suma, não dá mais para chegar com inglês “zerado” para estudar e poder  trabalhar legalmente na Terra da Rainha! Portanto, se você tem intenção de trabalhar por lá, você deverá  antes estudar inglês por um tempo aqui no Brasil! # FicaDica!

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

HOMESTAY: TOP 30 dicas do que esperar da sua Acomodação Familiar no Exterior

14 de abril de 2011 | Postado por Marina em Casa de Família x Outras Acomodações

Viver na casa de outras pessoas pode ser interessante, mas também não deixa de ser um desafio adaptar-se à maneira como outras residências fazem as coisas e também a uma outra cultura e língua diferentes. 

Em alguns programas de High School (Colegial no Exterior) as famílias são voluntárias, já na maioria dos Cursos de Idiomas as famílias recebem uma remuneração para acomodar estudantes em suas casas. Em ambos os casos,  as composições familiares são das mais diversas: Casal de idosos, casal com filhos pequenos ou maiores, mãe viúva com filhos e por aí vai…

Dos onze Intercâmbios que tive oportunidade de fazer, em nove fiquei acomodada em casa de família e nos outros dois em residência estudantil e apartamento compartilhado com outros estudantes. Foram, ao todo, duas famílias britânicas, duas francesas, duas alemãs, duas canadenses e uma australiana.

Talvez a experiência mais válida que adquiri tenha sido a não julgar o que é ou não uma “família” e que nenhum modelo familiar  (nenhum mesmo) é garantia de sucesso ou fracasso ou seja, a homestay não precisa ser composta por um casal com dois filhos e um cachorro poodle para ser caracterizada como tal e para cumprir o seu papel durante a sua experiência no exterior.

Aprendi também que existe um tripé que faz com que uma experiência em casa de família seja bem sucedida, são eles: Que estas pessoas que estão te recebendo te acolham com simpatia, que sejam mais uma forma de você praticar o idioma local com nativos e, principalmente que haja uma troca cultural interessante. Daí a você desenvolver um laço maior de amizade, depende muito da sua identificação pessoal com cada membro familiar.

Em todo caso, acho a experiência super válida e recomendo principalmente para o primeiro intercâmbio. Depois, mais maduro, você pode até optar por um alojamento ou flat onde terá mais independência, no entanto pelo menos, uma vez na vida, a homestay  é uma coisa que precisa ser vivida quando a assunto é Intercâmbio.

Pensando nisso, abaixo seguem os TOP 30 dicas que considero importantes para um intercambista saber o que esperar da sua acomodação em uma casa de família, e se sentir mais confortável e mais facilmente integrado a este novo e temporário entorno familiar – a sua homestay no exterior!

 1) “Por favor” e “obrigado”, são frases internacionais. Use-as quando você pede ou recebe alguma coisa.

 2) Sempre tente se comunicar claramente com a sua homestay. Seus anfitriões não podem saber o que você está pensando. Eles não vão saber o que você precisa se você não lhes disser. Se você está com frio e precisa de outro cobertor, diga. Se você precisa de mais toalhas, peça.

3) Sempre avise à homestay onde você está indo e quando você vai estar em casa. Seus anfitriões vão ficar preocupados se você estiver atrasado. Se a sua família ligar, seus anfitriões precisam saber onde você está.

4) Tão logo quanto possível, pergunte aos seus anfitriões quais são as regras da casa. Pergunte sobre:

Horário de T.V

Horários de banho.

Horários de refeições

Em que volume você pode tocar música e até que horário.

Quais dependências da casa que você pode usar.

5) Se existem máquinas que você pode usar, tais como fax ou computador, e como operá-las. Se a casa tem um sistema de alarme de segurança e, caso tenha, como usá-lo.

6) Você vai achar que as refeições no exterior têm um sabor diferente das refeições do Brasil, e não vai ter aquele feijãozinho com arroz no almoço, este costuma ser uma lanche rápido e o jantar normalmente é a principal refeição.

7)Sinta-se à vontade para dizer aos seus anfitriões do que você gosta. O que fazer se só existe bananas na casa e você não as come? Diga ao seu anfitrião “eu prefiro laranjas em vez de bananas”. A frase “eu prefiro” é uma frase útil. Você pode deixar que o seu anfitrião saiba o que você quer sem ser negativo. Se você diz “eu odeio bananas”, o seu anfitrião poderá ser ofendido. É mais útil dizer o que você gosta ou até mesmo perguntar sutilmente onde você pode encontrar tal alimento, muitas vezes, eles se oferecem para comprar.

8) Se você gostaria de uma segunda porção na hora do jantar, não tenha medo de pedir. Você pode dizer “isto é muito bom, eu poderia repetir?”. Se o seu anfitrião perguntar se você quer mais, diga “sim” na primeira vez. No exterior, não é um costume dizer “não” só de “charminho” quando, na verdade você quer dizer “sim”.

9) Espere que os anfitriões lhe sirvam comida própria do lugar. Não espere que eles saibam cozinhar comida do seu país. Seja aventureiro (a) e mente aberta. Ah! eu sei ninguém cozinha tão bem quanto a “zefinha” que lhe criou (no meu caso, a Lídia) mas, isto não significa que você não pode experimentar coisas novas, desenvolver seu paladar e adquirir novos hábitos.

10) Se você quiser usar a cozinha, pergunte aos seus anfitriões se você pode fazer isso.

11) Evite cozinhar em horas impróprias: Os anfitriões geralmente não gostam que as pessoas estejam cozinhando em sua cozinha, ou muito cedo pela manhã, ou muito tarde, à noite.

12) Pergunte como utilizar os eletrodomésticos tais como torradeiras e forno de microondas, frequentemente são diferentes de um país para outro.  Caso você quebre um eletrodoméstico, ofereça-se para substituí-lo ou repará-lo.

13) Não existe compensação se você perder uma refeição na sua acomodação familiar.  Isto é, na há substituições. Isto significa que você não pode almoçar porque não tomou o café da manhã.

14) Se você tem alergia a quaisquer alimentos, informe os seus anfitriões imediatamente. Eu, por exemplo, tenho alergia a frutos do mar e sempre deixava isto claro quando chegava na homestay.

15) Se você vai perder uma refeição, telefone e diga aos seus anfitriões. Faça isso duas horas antes da refeição. É indelicado deixar que o seu anfitrião cozinhe para você, se você não vai estar lá. Você precisa deixar que os seus anfitriões saibam antes que eles comecem a preparar a refeição. Parece besteira, mas, principalmente nos países que passaram por guerras, todo o tipo de desperdício não é visto com bons olhos. Além disso, se você vai chegar tarde para o jantar, os seus anfitriões podem manter a sua refeição quente para você até certa hora, mas não até muito mais tarde. Você poderá usar o microondas para aquecer a sua refeição.

16) Os anfitriões sempre são cuidadosos a respeito da privacidade dos outros. Se você chega emcasa, vai para o seu quarto e fecha a porta, eles vão pensar que você não quer perturbado. Se você quer interagir e praticar o idioma, demonstre isto ficando nas áreas comuns da casa e puxando assunto.

17) Não espere que o seu anfitrião o convide para assistir TV ou falar com ele. É normal juntar-se a estas atividades sem esperar um convite.

18) Se você quer trazer um amigo para jantar na casa, primeiro telefone para pedir autorização: A cultura de outros países nem sempre é do tipo “mãe, cheguei com 20 amigos para almoçar” “Que ótimo filho, só vou botar mais água no feijão e fica tudo certo”. 

19) Não fume em uma acomodação familiar para não-fumantes.

20) Você não poderá ter um convidado para passar a noite. A menos que tenha autorização expressa para isto. Na minha homestay de La Rochelle da França, uma colombiana que também estava na cada levou um carinha para dormir no quarto dela. A hostmother acordou e viu uma figura no banheiro da sua casa. Nem precisa dizer que esta estudante foi convidada a deixar esta homestay não é?!

21) Não guarde bebidas alcoólicas no seu quarto. Principalmente se for menor de idade.

22) Nem precisa dizer que você não poderá usar qualquer tipo de drogas ilícitas na sua acomodação familiar.

23) Se você voltar tarde para casa, tenha cuidado para não acordar as outras pessoas da casa quando você chegar. Se quando chegar tarde você fizer barulho e acordar as pessoas da casa, seus anfitriões poderão achar necessário estabelecer um horário para você se recolher.

24) A menos que tenha optado por um quarto duplo (compartilhado com outro estudante), você normalmente terá o seu próprio quarto individual com cama e uma mesinha para estudar e, geralmente, uma chave da casa. Procure mantê-lo em ordem (na medida do possível). Algumas casas mais antigas têm armários muito pequenos nos quartos. Se você precisa de mais armários, peça aos seus anfitriões um espaço fora de seu quarto, onde você pode pendurar ou guardar roupas. Dinheiro, passaporte e objetos de valor devem ficar trancados na sua mala e não soltos pelo quarto.

25) Quanto a lavagem de roupa, seus anfitriões lavam os seus lençóis e toalhas da casa uma vez por semana. Se eles esquecerem de fazer isso, lembre-os de dar-lhe as suas toalhas e lençóis limpos. Você é, no entanto, responsável pela lavagem da sua roupa pessoal. Compre o seu próprio detergente e amaciante de roupa. Pergunte ao seu anfitrião quando é o melhor dia e hora para lavar as suas roupas. Peça aos seus anfitriões para mostrar-lhe como usar a lavadora e secadora de roupa. Espere até que você tenha roupas em quantidade suficiente para encher uma máquina, antes de lavá-las. Alguns anfitriões preferem lavar a sua roupa. Neste caso, dê as suas roupas aos seus anfitriões no dia da lavagem. Outros podem sugerir uma lavanderia próxima.

26) Você, provavelmente, vai dividir o banheiro com outras pessoas, isso quer dizer que você poderá precisar ser flexível sobre horário de banho e chuveiro pois  poucos estudantes têm o seu próprio banheiro. Não gaste mais de 10 minutos no banheiro cada vez que usá-lo. Se você quiser passar um longo tempo na banheira ou chuveiro, certifique-se de que ninguém mais está esperando para usar o banheiro, os estrangeiros geralmente tomam um banho ou ducha uma vez por dia. Tente não tomar banho mais do que uma vez por dia, a menos que seja realmente necessário. Você não tem que limpar o banheiro, mas tenha a certeza de que vai deixá-lo da mesma forma que o encontrou, não o deixe molhado ou desarrumado para a próxima pessoa, se este for o caso, alguns anfitriões podem pedir que você seque a banheira e os azulejos após o banho ou a ducha. Se eles pedirem, pergunte onde eles querem que você deixe as toalhas molhadas. Se você tem o seu próprio banheiro, eles podem pedir que você próprio o limpe.

27) Você não tem que limpar a casa, cuidar de crianças, ou fazer qualquer trabalho externo. No entanto, no exterior, não é um costume ter uma empregada para fazer o seu trabalho doméstico, pois a maioria dos homens e mulheres trabalham fora e, por isto, você poderá ver homens e mulheres e mesmo crianças dividindo os trabalhos domésticos. Você pode oferecer-se para ajudar, apenas por gentileza, pois é educado ajudar a tirar a mesa após o jantar e perguntar se você deve lavar o prato e os talheres que você usou na refeição.

28) A melhor opção é evitar usar o telefone da sua casa de família, mas, desde que acordado previamente com a família, você poderá fazer chamadas locais e chamadas a cobrar da sua acomodação familiar. Peça aos seus anfitriões para fazerem a chamada a cobrar para você. Dê a eles o código do país, código de área e número do telefone. A menos que você esteja usando um cartão telefônico para longa distância, você não pode fazer chamadas de longa distância da sua acomodação familiar.  Ah, e lembre-se que você está dividindo o telefone com as outras pessoas da casa, por isto, nunca gaste mais do que dez a quinze minutos no telefone e diga aos seus amigos e familiares e namorado(a) para chamá-lo (a) depois das 7h da noite e antes das 10h da noite, horário local.

29) Pergunte qual é o número de telefone para emergências local e como utiliza-lo.

30) Se você não tem certeza a respeito da “maneira local de fazer as coisas”, pergunte aos seus anfitriões ou ao coordenador de acomodação da sua escola.

Ou seja, no caso do relacionamento com a homestay vale a regra para qualquer relacionamento: DIALOGO + RESPEITO E EDUCAÇÃO e, certamente seguindo estas dicas você não terá problemas!

Boa Sorte e Boa Viagem!

Bjs,

Marina

10 motivos para fazer Intercâmbio no México!

06 de abril de 2011 | Postado por Marina em Intercâmbio de A a Z

 A parte mais “latina” da América do Norte com um dos povos mais legais que já conheci faz do México uma ótima opção para fazer um intercâmbio da língua espanhola.

 Em todos os intercâmbios que fiz, tive amigos argentinos, colombianos, equatorianos, chilenos, mas não posso negar que sempre me senti “em casa” entre amigos mexicanos e estes eram sempre os meus BF´s (Best Friends). Topavam viajar, adoravam “salir por la noche para bailar” e eram sempre só alegria!

 Além do povo do local e do clima, outra razão que nos faz decidir morar um tempo em outro lugar é a quantidade de atrativos que o país tem para oferecer e, quanto a isso, o México tem várias opções: Ótimos resorts, praias, esportes, cidades históricas, música, gastronomia e cultura.

 Abaixo, apenas para exemplificar, uma lista de 10 motivos para você incluir o México nos seus planos:

1) Puerto Vallarta

Puerto Vallarta é uma cidade balneária no oceano pacífico e se orgulha em ter as águas mais puras de México. Graças a sua localização, a cidade se tornou numa atração turístico e importante porto do país. A sua história data dos anos 1500, quando foi descoberta pelos espanhóis. Hoje, a cidade preserva suas características tradicionais como as ruas de paralelepípedos e uma área colonial no centro. Na Bahia Banderas você pode curtir os golfinhos e tartarugas marítimas.

 Existem escolas de idiomas como a Coined ou a Enforex em Puerto Vallarta  e, além das praias, palmeiras e paisagens naturais há modernos resorts e facilidades cosmopolitas portanto é  um ótimo lugar para aprender espanhol com muita diversão.

2)  Península de Yucatán (Playa del Carmen, Cozumel, Islas Mujeres e Mérida)

Praias lindas e ruinas mayas fazem da peninsula de Yucatán uma excelente opção no México. Playa del Carmen é um dos destinos mais atraentes do Caribe mexicano e está localizada no coração da Riviera Maya de Yucatan, perto de Cancun e do paraíso de mergulho de água cristalina chamada Cozumel, Playa del Carmen combina o espiríto de um vilarejo com pessoas do mundo todo.

Merida é outra cidade também localizada no coração de Yucatan. Além de possuir um vasto legado da cultura maya e da arqueologia também tem vestígios da inquisição espanhola. Muito segura, limpa e com povo receptivo.

A apenas alguns minutos de barco de Cancun, Islas Mujeres é um paraíso tropical perfeito. Pequena ilha onde você pode nadar, praticar snorkel ou a arte de não fazer nada!

Por esta razão,  a escola Coined em Mérida ou a Coined e a Enforex em Playa del Carmem são excelentes opções para estudar espanhol.

3) Oaxaca

Oaxaca é famosa pela forte cultura indígena, muito artesanato, arquitetura colonial e colorida além de desertos, florestas e cachoeiras fotogênicas. O mercado de Oaxaca, ou New Market, a Catedral de Santo Domingo e de Oaxaca, e as ruínas de Mitla, Monte Alban e Yagul são alguns dos pontos fortes do lugar.

Existem escolas de idiomas em Oaxaca, as escolas Coined e Enforex também estão por lá! Sem dúvidas uma oportunidade de aprender espanhol e absorver muito da cultura desde povo.

  

4) Chiapas

Chiapas é um paraíso subtropical com florestas e ruinas mayas, tem um rio com uma Canyon chamado Sumidero, os lagos de Montebello e as ruínas de Palenque. Vale uma visita!

5) Copper Canyon

Região no norte de Chihuahua tem cavernas e penhascos maiores que o Grand Canyon. A vista panorâmica de cima é fascinante.

6) La Bufadora

O mar que vem diretamente de uma caverna da baixa Califórnia é um espetáculo a parte. Sente-se ao lado dos outros muitos turistas e aproveite o show.

7) Chichen Itza

Testamento vivo da civilização Maya e patrimônio da UNESCO e dominada pelo imponente. El Castillo (o castelo) está na lista de todos que vão ao México e, é claro, não pode ficar fora da sua!

8)  Cola de Caballo

Ou,   rabo do cavalo, localizada nas lindas cataratas de Monterrey também atrai muitos visitantes para atividades ao ar livre. Escolha entre hiking, bungee jumping, canoagem ou andar de cavalo e aproveite!

9) Guanajuato:

Cidade universitária, pequena e tranqüila, longe de destinos turísticos como Cancun ou Puerto Vallarta é um bom lugar para focar nos estudos, mas não deixar de curtir o local já que você sempre terá muita gente jovem por perto. Certamente um ótimo lugar para aprender espanhol e por isso também tem escolas de idiomas por lá! Você pode escolher entre a Coined, a Enforex ou a Don Quijote

10) Cabo San Lucas

Muito turístico para mergulho com lindas formações de rochas é uma outra atração imperdível do México;

E aí amigos! ?Les gustó a México?! Espero que si pues a mi me encantó!

Besos y hasta la vista!

Marina.

O doce, internacional e inocente 1º de abril:

01 de abril de 2011 | Postado por Marina em Curiosidades Culturais pelo Mundo

E finalmente março acabou. Este ano senti que janeiro e fevereiro voaram e, as águas de março fechando o verão parecem ter demorado mais do que 31 dias…

Há muitas explicações para o 1º de abril  ter se transformado no dia das mentiras ou dia dos bobos. Uma delas diz que a brincadeira surgiu na França. Desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado no dia 25 de março, data que marcava a chegada da primavera. As festas duravam uma semana e terminavam no dia 1º de abril.

Em 1564, depois da adoção do calendário gregoriano, o rei  Carlos IX da França determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1º de janeiro. Alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano iniciaria em 1 de abril. Gozadores passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes  esquisitos e convites  para festas que não existiam. Essas brincadeiras ficaram conhecidas como plaisanteries.

Em países de  língua inglesa  o dia da mentira costuma ser conhecido como April Fool’s Day, “Dia dos Tolos”. Na Itália e na França ele é chamado respectivamente pesce d’aprile e poisson d’avril, literalmente “peixe de abril”.

Pessoalmente simpatizo com o mês de abril, representa o primeiro signo do zodíaco e, confesso que sempre me dei bem com pessoas do signo de Áries.

Outra característica do mês de abril é que, por pelo menos um dia no ano, podemos nos dar ao luxo de brincar e dizer barbaridades desde que finalizemos com um risonho: “1º de abril!”.

Em 1º de abril tudo pode! Ganhar na loteria! Dizer para o namorado que está grávida ou contar para os amigas que “pegou” o Malvino Salvador. Depois, fica tudo bem, você pode mentir, afinal. É 1º de abril!

Abril também tem um doce gosto de chocolate. O mês é simbolizado por felpudo coelho de páscoa e, acho uma delícia entrar nos supermercados e ver todo aquele arco íris de ovos dos mais diversos tipos, presentear pessoas queridas, sentir aquele clima de festa, e lembrar de recordações da infância.

 A atmosfera doce e inocente de 1º de abril também nos faz ter a suave certeza de que o ano ENFIM começou e que novos sonhos podem (e vão) se realizar.

 Afinal, as águas de março já passaram os amores de carnaval já se estabilizaram (ou não), e é hora de arregaçar as mangas e partir para a luta!

É o mês do recomeço, porém sem “o peso” e a responsabilidade de 1º de janeiro. Isso porque abril é doce e Inocente com o “gosto de um docinho” e a graça de uma “mentirinha”…..

Um feliz mês de abril a todos!

 Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

TOP 3 medidas para fugir do aumento do IOF no uso de cartões de crédito no exterior:

01 de abril de 2011 | Postado por Marina em Dicas de Viagem

Foi confirmado esta semana pelo Governo Federal! A partir do dia 27 de Abril de 2011, os brasileiros que fizerem compras no exterior com cartão de crédito vão pagar um imposto de 6,38% sobre as Operações Financeiras (IOF) Isso significa, por exemplo, que, para cada R$ 1.000 reais gastos em compras no exterior, a União ficará com R$ 63,80.

Por esta razão, muita gente anda se perguntando quais seriam, neste momento, as alternativas mais interessantes para continuar consumindo e comprado em suas viagens internacionais e, ao mesmo tempo, fugir desta cobrança que quase dobrou (antes era de 2,38%).

Pensando nisso, o Blog Intercâmbio de A a Z vai te dar uma luz com três alternativas:

1) Papel moeda (0,38% de IOF): O bom e velho “din-din” é uma forma de evitar a surpresa de uma conversão desvantajosa no dia do pagamento do cartão. Esta, no entanto, não pode ser a opção dos mais distraídos, pois dinheiro perdido não tem dono né, gente?! Então, se não for lá muito atento leve apenas 20% do valor da viagem em cash e, para o restante, utilize as outras formas abaixo;

2) Traveler Cheques (0,38% de IOF): São cheques convertidos em dinheiro vivo nas instituições financeiras. Costuma sair R$ 0,01 mais barato que em espécie. A cotação do traveler cheque varia de acordo com a instituição então vale a pena pesquisar antes de fechar o negócio. A vantagem é que se você perder, pode solicitar cancelamento (como quando perdemos cheques por exemplo) e, a desvantagem é que você precisa sempre apresentar seu passaporte para utilizá-lo. Isso porque, é dever do estabelecimento que vai receber, “checar se você é você”! (seja ela loja, restaurante, etc) visando não receber traveler cheques roubados ou perdidos e ficar com um cheque sem valor nas mãos.

3) VTM -Visa Travel Money (0,38% de IOF): Os cartões Travel Money se tornam, neste momento, ainda mais atrativos para compras no exterior! O IOF é de apenas 0,38% no momento da transação de câmbio e, após os créditos serem disponibilizados no cartão, não há mais incidência do IOF. O VTM funciona como um cartão de débito pré-pago e não é vinculado a uma conta corrente o que evita eventuais cobranças de taxas bancárias. Funciona da seguinte forma: Você adquire o cartão (muitas vezes gratuitamente) em uma casa de câmbio, obtém um login e uma senha e pode carregá-lo quantas vezes quiser no Brasil ou no exterior e, os valores depositados podem variar de USD 200 (mínimo) a USD 20.000 (máximo). No caso de saque em dinheiro, esta modalidade costuma cobrar USD 2,50 por operação.

E aí pessoal, gostaram das dicas?! Que bom que existem alternativas não é?!

 É isso aí:

– O dólar esta semana atingiu o patamar mais baixo dos últimos 2 anos

 – As viagens hoje podem ser divididas ou financiadas a perder de vista;

– Você está cheio de pique para embarcar em uma nova aventura;

Não ia ser um “IOFzinho” que ia te atrapalhar a realização desde sonho, não é?!

Beijos e Boa Viagem!

Marina.

10 Razões para você fazer um Intercâmbio em Vancouver

28 de março de 2011 | Postado por Marina em Canada

Vancouver já foi eleita por várias vezes a cidade com melhor qualidade de vida do planeta e, fazer um intercâmbio com vista para o pacífico, com uma das temperaturas mais amenas do Canadá (no inverno, é bem menos frio que outras cidades como Toronto ou Montreal) é mesmo um privilégio. Principalmente, porque mesmo sem passar tanto frio na cidade, dá para aproveitar o melhor do inverno esquiando ou praticando snowboard nas várias montanhas ao redor da cidade (muitas delas localizadas apenas 40 minutos do centro da cidade) e, além disso, usufruir das árvores do Stanley Park, das montanhas de tirar o fôlego e de uma variedade gastronomica internacional de altíssima qualidade.

Existem várias escolas de idioma excelentes que estão localizadas no centro de Vancouver. Além disso, também tem ótimas escolas de High School (colegial) em bairros como North Vancouver, Burnaby ou West Vancouver.

Estudei por três meses na PLI (Pacific Language Institute) e fiz um curso de inglês para negócios no centro da cidade. Morei em uma casa de família em North Vancouver e todos os dias eu ia para escola de ônibus e chegava ao centro em 40 minutos.

Depois da aula, sempre ficava por ali pela Robson Street dando uma passeada, vendo as lojas ou comendo um crepe antes de voltar para casa no início da noite para jantar com a família e depois decidir se sairia ou não à noite.

Já nos finais de semana eu fazia atividades mais diurnas, sempre uma coisa diferente, além de ter esquiado muito, também fiz outros passeios bem legais que recomendo a quem for estudar por lá. Além da PLI (que foi a escola que eu estudei) recomendo também outras escolas  muito boas como: a  LSC, a ILSC e o Eurocentres.

Independente da escola escolhida e do tipo de programa (high school, curso ou estágio/trabalho), abaixo seguem os TOP 10 motivos que fazem de Vancouver uma cidade mais do que especial para fazer um Intercâmbio:

1. Vancouver no ar: Quando estiver pousando na cidade, não deixe de olhar pela janela, Vancouver impressiona pela beleza como quando estamos chegando ao Rio de Janeiro. “É bonita é bonita e é bonita….viveerrrr e não ter a vergonha de ser feliz….cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz (de viajante)…

2. Vancouver no mar: Vários cruzeiros passam por Vancouver! O Convention Centre/Cruise Terminal no harbour front tem vistas lindas do Stanley Park Grouse Mountain e do mar do pacífico.

3. Vancouver de bicicleta ou patins: Outra forma deliciosa de passear por Vancouver é pelo False Creek, da English Bay a Stanley Park e depois dentro de todo o parque (cerca de 20 km).

4.  Stanley Park. O parque tem praias, árvores, lagos e várias trilhas, além disso, vale fazer uma visita ao aquário de Vancouver e ver as orcas e as baleias. Impressionante!

5. Grouse Mountain e Capilano: Além de ser maravilhoso para esquiar, tem uma vista fenomenal da cidade, da ilha de Vancouver e do Stanley Park. No caminho pela ponte Lions Gate pare em Capilano e não deixe de fazer o passeio da ponte suspensa de capilano (Capilano Suspension Bridge).

 

6.  Downtown Vancouver. O centro de Vancouver é bem compacto e pode ser feito a pé. Eu recomendo o Heritage Walking tour, mas você pode ir por conta própria e visitar o bairro de o Gastown (e seu famoso relógio), Chinatown ou as mansões de Shaughnessy. Ah, para comer por lá, adoro o “The Old Spaghetti Factory: preço e serviço bom e comida deliciosa.

7. Creek Ferry ou Aquabus para Granville Island: Você vai encontrar artesanatos, lojas e o famoso mercado com muitos frutos do mar frescos.

8. Whisler. Whistler Blackcomb é a maior estação de esqui da América do Norte e fica localizada cerca de 2h de Vancouver. Além de boas pistas e restaurantes, à noite tem várias baladinhas cheias de gente bonita.

 

9.  Vancouver Island. Pegue um ferry de Tsawwassen para Swartz Bay que fica perto de Victoria, a capital da província de BC (British Columbia). Além de o caminho ser muito bonito, muitas vezes você tem a companhia de baleias no seu trajeto. Vancouver Island fica cerca de 2h de ferry do centro de Vancouver. Ao chegar a Victoria, visite o Hotel Empress, e o charmoso Butchart Gardens.

 

10.  Frutos do mar mais frescos do mundo. A influência da imigração oriental é fortíssima em Vancouver, por esta razão talvez a cidade tenha uma das maiores variedades de restaurantes japoneses e chineses fora da Ásia. Alem da grande variedade ofertada que merece ser degustada, não deixe de provar o sashimi de atum que é super saboroso.

Então pessoal, é isso!

Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais sobre Vancouver!

 Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

Página 40 de 49« Primeira...102030...3839404142...Última »