Archive for the ‘Inglaterra’ Category

William já era! mas, sempre haverá Londres! TOP 5 Dicas de baladas, compras e cultura na capital Inglesa.

26 de abril de 2011 | Postado por Marina em Inglaterra

Aproveitando  que nesta semana, os olhos do mundo estão voltados para a união Real do príncipe William com Katie Middleton. Evento que vai acontecer nesta sexta-feira na abadia de Westminster (um dos cartões postais da capital inglesa), vamos falar um pouco deste destino:

A Inglaterra é definitivamente um MUST SEE & LIVE do MUNDO e vamos combinar que Londres é a cidade mais apaixonante deste cenário. Pensando nisso, seguem abaixo TOP 5 dicas dos MUST SEE & LIVE – LONDON:

1) Como não pensar em Inglaterra sem lembrar de música?! E, os Pubs e bares de Londres são uma atração à parte: Experimente os: Eclipse, ProudCamdem, Waxy O´Connor´s, Fifty Five Bar & Lounge, o Skretch, a rede Wetherspoon para um tradicional Pub inglês e o Café 1001 para ter um mix de restaurante, lounge e balada.

2) Depois do “esquenta”, uma balada pode ser uma boa pedida, então não deixe de conferir os: The Roxy, The Church, o Koko e o famoso Ministry of Sound.

3) Ok, nem só de baladas vive um jovem, um pouco de cultura é necessário, sinta-se então cult & cool no Tate Modern, ou na Saatchi Gallery e visite também os tradicionais British Museum e o Madame Tussauds – museu de cera com suas reproduções perfeitas das celebridades.

4) Comprar um pouquinho é bom, pois ninguém é de ferro, não é?! Principalmente se for bom, bonito e barato, sendo assim, não deixe de visitar a Primark e a H&M para pechinchas de roupas de acessórios fora de séria. Para eletrônicos, visite a Tottenham Court Road e para livros e Cd´s não abra mão da loja Fopp no bairro de Convent Garden.

5) Quer apenas bater perna e sentir-se  um londrino (a) de verdade? Então não deixe de ir ao mercado de Portobello Road e o Broadway Market. Depois, impressione-se com as esquisitices e excentricidades de Camdem Town ou com o jeito descolado e jovem do bairro Convent Garden.

Chegou a Londres e quer saber o que está rolando na cidade?! Não deixe de conferir a revista Time Out e não perca nenhuma atração do momento!

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

MUDANÇAS NAS REGRAS DO VISTO DE ESTUDO NO REINO UNIDO(TIER 4):

20 de abril de 2011 | Postado por Marina em Inglaterra

O Reino Unido é mundialmente reconhecido por ter um dos melhores sistemas de ensino do mundo e, devido a  sua tradição e localização, é  o destino de  milhares de estudantes que optam por estudar em um país estrangeiro.  No entanto, visando garantir que quem entra com um visto de estudante genuinamente irá estudar, o governo está empenhado em minimizar abusos cometidos por aqueles cuja motivação principal não é estudar, mas sim trabalhar e estabelecer-se permanentemente no Reino Unido muitas vezes, até mesmo de forma ilegal.

Por esta razão, a partir de 21 de Abril para solicitar o visto de estudo (TIER 4), será necessário o nível de inglês B1 para cursos de nível pré-universitário, incluindo foundation courses e cursos de inglês. E, o requisito de língua inglesa nível B2 em cada uma das quatro disciplinas (falar, ouvir, ler e escrever) será necessário para cursos em nível de graduação.

Os CAS emitidos até 21 de abril, portanto, antes da obrigatoriedade de um teste de Inglês SELT, ainda serão aceitos por seis meses. Durante esse período, o aluno poderá dar entrada no pedido sem a necessidade de fazer o SELT.  

Alunos de posse de CAS emitidos após 21 de abril terão que demonstrar seu nível de inglês através de um teste SELT e, os oficiais de Imigração passam a ter o poder de recusar a entrada de um portador de visto de estudante que não possa falar inglês sem um intérprete.

No caso da comprovação de fundos para cobrir as despesas do estudante, será preparada uma lista com a relação dos bancos reconhecidamente confiáveis e, portanto aceitos pelo UK Border Agency. Os extratos bancários enviados junto com a solicitação de visto devem ser de uma destas instituições financeiras.  Apenas estudantes de pós-graduação e financiados pelo governo poderão patrocinar seus dependentes. Neste caso, os dependentes terão autorização para trabalhar.

A reforma proposta não visa fechar as portas do país. Trata-se de uma abordagem mais seletiva ao interesse da Grã-Bretanha em adquirir estudantes que procuram uma educação de alta qualidade e evitar que o principal objetivo de um estudante em ir ao Reino Unido seja trabalhar.

Sendo assim, estudantes universitários conservarão o seu direito de trabalhar 20 horas por semana por meio período e de estágios onde a relação de trabalho/estudo é 50% para cada. Estudantes de cursos pré-universitários, inglês e foundation courses  seguem podendo trabalhar 10 horas semanais.

A boa notícia é que estudantes de língua inglesa que desejarem participar de cursos de inglês por mais de seis meses são ainda capazes de aplicar para um visto de estudante visitante, permitindo-lhes estudar no Reino Unido até 11 meses, não sendo, neste caso, necessário comprovar o nível de inglês B1 através do teste SELT, no entanto nesta categoria de “estudante visitante” o participante não poderá trabalhar 10 horas semanais previstas até o momento para o visto de estudante (TIER 4).

Em suma, não dá mais para chegar com inglês “zerado” para estudar e poder  trabalhar legalmente na Terra da Rainha! Portanto, se você tem intenção de trabalhar por lá, você deverá  antes estudar inglês por um tempo aqui no Brasil! # FicaDica!

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

Intercâmbio na Inglaterra:

21 de junho de 2010 | Postado por Marina em Inglaterra

A terra dos Beatles e do Big Ben é referência mundial quando o assunto é Intercâmbio no exterior, seja pela história, pela cultura ou mesmo por ter estudado na Cultura Inglesa a vida toda (meu caso)…kkkkk, A Inglaterra é uma das primeiras opções que vem a nossa mente quando se quer ter fluência no inglês!

 

A terra da Rainha tem três excelentes atrativos:

1)Fica na Europa e permite que viajemos por vários países durante o nosso intercâmbio.Prepare-se para finais de semana em Paris, Amsterdam, Barcelona…

  A cia aérea easy jet tem passagens bem baratas, é umas das tantas cia Low-cost de lá!

2) Para uma permanência de até 24 semanas (quase 6 meses) não exige visto prévio para brasileiros (basta apresentar comprovante de que vai estudar na entrada no País, assim como, comprovante de renda).

3) Para os estudantes que tiram um visto de estudante com vínculo com uma escola a partir de 6 meses, pode-se trabalhar legalmente por até 10 horas semanais.

 As duas desvantagens da Inglaterra são:

1)Sua moeda – a Libra esterlina, que torna o nosso custo de vida meio caro por lá.

2) A comida inglesa não e das mais saudáveis ou saborosas. Basta dizer que o prato típico deles é fish&chips (peixe frito + batata frita) não que este prato em especial não seja gostoso, até que é, mas fritura + fritura por muito tempo acaba engordando a gente ne?! Além de deixar o rosto cheio de espinhas, como se  já não bastasse os chocolates (estes sim são maravilhosos, como o Maltesers e todos da Cadbury) aí já viu, a gente engorda na certa!

      

Tirando isto, o País é show de bola! No final deu 3 x 2 para a Inglaterra! Com certeza mais vantagens que desvantagens!

Cidades como Londres, Oxford e Cambridge são tão referência para a gente quando o assunto é Educação Internacional assim como lembramos do surf quando se fala do Hawaii ou da Itália quando o assunto é gastronomia (Lê-se: comidas maravilhosas).

Pois bem, precisava mesmo falar da Inglaterra (atendendo a alguns pedidos de leitores) mas também por que a Inglaterra tem um papel importante na minha vida por que o meu primeiro Intercambio foi lá!   E, é aquela velha história, o primeiro a gente nunca esquece e não foi diferente nesta experiência de um mês que tive na cidade litorânea de Bournemouth, sul da Inglaterra.

Aos 14 anos, estudei na escola Eurocentres e fiquei em uma casa de família tipicamente britânica. Esta minha primeira experiência foi muito importante para me deixar mais segura no meu inglês como também me tornar mais autoconfiante. Por ter sido uma experiência super positiva, me deixou com aquela vontade de quero mais ao ponto de eu ter feito mais  10 intercâmbios de lá para cá.

Quando a se pensa em estudar na Inglaterra a primeira imagem que temos na cabeça é Londres mas, acredite, não deixe de pesquisar todas as opções pois, algumas vezes, existem cidades mais parecidas com o seu estilo de vida ou o que você esta buscando em termos de experiência internacional.

Primeira coisa importante: acho que para aproveitar Londres plenamente é interessante ser maior de 18 anos, não só para curtir a vida noturna que é um capitulo a parte mas também para enxergar as maluquices que vemos na rua de uma forma mais adulta, como uma expressão cultural e por que não dizer, individual de cada um e tão típica do londrino. Para entender o que estou falando, além dos pontos turísticos de Londres, como Big Ben, London Eye, Madame Tussauds, Museu de Historia Natural, Tate Museum e Tate Modern, não deixe de visitar o bairro de Camden Town, onde o exótico, o diferente e o alternativo tem lugar cativo. O metrô de Londres é super fácil e prático e dá para transitar com facilidade por toda Londres que, por sua vez, é dividida por zonas, sendo a zona 1 a mais central e seguindo como um caracol por zonas, 2, 3, 4, 5,6….

  

Para quem que estudar e morar no coração de Londres, Zona 1, normalmente as opções de acomodações mais indicadas são residências estudantis ou flats que muitas vezes, permitem que você vá andando até a escola.

Já se a sua preferência for ficar em as casas de família estas costumam ficar em áreas residenciais entre as zonas 2 e 4, o que pode significar uma distancia de 20 a 50 minutos do centro de Londres, onde a maioria das escolas  estão localizadas.

Alguns exemplos de escolas no coração de Londres são: Eurocentres Londres Central, International House, no simpático bairro de convent garden, a escola Kaplan na super central Leicester Square ou, ainda, a Frances King eu fica em frente a estação de Gloucester Road, entre outras.

 

Já os que preferem viver e estudar em uma região mais tranqüila e com distâncias menores entre a escola e a moradia, podem optar por escolas em regiões residenciais como as zonas 2 e 3, alguns exemplos neste caso são as escola Eurocentres Lee Green, Embassy Ces The Hampstead.

Ainda nesta linha, existem diversas escolas em cidades muito próxima a Londres. Quer alguns exemplos? As cidades de Brighton, Oxford ou Cambridge ficam a no máximo 1 hora de Londres, ou seja, dá para ter uma rotina mais tranqüila durante a semana, ir para a escola, muitas vezes de bicicleta e, nos finais de semana ir passear e badalar em Londres!

Brighton é conhecida como uma mini – Londres, pelas inúmeras opções  de lazer, baladas e muitos festivais de música durante o verão.

É uma cidade litorânea com um píer famoso e com muitos jovens.Nesta cidades, as escolas Embassy Ces e Eurocentres são bem recomendadas.

Ver imagem em tamanho grande

Ver imagem em tamanho grande

Oxford e Cambridge, são ambas cidades  que possuem os campus universitários mais famosos de toda a Inglaterra. Anda-se muito de bicicleta e são cidades extremante “inglezinhas” no imaginário que temos de Inglaterra em termos de arquitetura e estilo além de, é claro, ,do ensino tradicional e bem conceituado de suas universidades.

 É possível fazer cursos de idiomas ou preparatórios para certificados (Exemplos: Kaplan, Bell, Eurocentres ou Embassy Ces) ou mesmo preparação para entrar em universidades na Grã Bretanha ou em outros países do mundo, os chamados programas Foundation (Exemplos: St. Claires, Cats e Bell).

Bournemouth,por sua vez, que foi a cidade que eu escolhi aos 14 anos, é uma cidade litorânea, segura e com muitos aposentados mas também algumas baladinhas bem legais, acho uma opção bem interessante para adolescentes. Ela fica a cerca de 2 h e meia de Londres.

A Inglaterra tem outras cidades pequenas e médias que são bem  interessantes, alguns exemplos são: Manchester, Bath ou Hastings.

Portanto, a dica é: Pesquise qual a cidade tem mais haver com você, coloque a sua mochila e corra para o abraço.

Independentemente do seu estilo, a Inglaterra, com certeza, não vai lhe decepcionar!

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

Página 3 de 3123