HOMESTAY: TOP 30 dicas do que esperar da sua Acomodação Familiar no Exterior

14 de abril de 2011 | Postado por Marina em Casa de Família x Outras Acomodações

Viver na casa de outras pessoas pode ser interessante, mas também não deixa de ser um desafio adaptar-se à maneira como outras residências fazem as coisas e também a uma outra cultura e língua diferentes. 

Em alguns programas de High School (Colegial no Exterior) as famílias são voluntárias, já na maioria dos Cursos de Idiomas as famílias recebem uma remuneração para acomodar estudantes em suas casas. Em ambos os casos,  as composições familiares são das mais diversas: Casal de idosos, casal com filhos pequenos ou maiores, mãe viúva com filhos e por aí vai…

Dos onze Intercâmbios que tive oportunidade de fazer, em nove fiquei acomodada em casa de família e nos outros dois em residência estudantil e apartamento compartilhado com outros estudantes. Foram, ao todo, duas famílias britânicas, duas francesas, duas alemãs, duas canadenses e uma australiana.

Talvez a experiência mais válida que adquiri tenha sido a não julgar o que é ou não uma “família” e que nenhum modelo familiar  (nenhum mesmo) é garantia de sucesso ou fracasso ou seja, a homestay não precisa ser composta por um casal com dois filhos e um cachorro poodle para ser caracterizada como tal e para cumprir o seu papel durante a sua experiência no exterior.

Aprendi também que existe um tripé que faz com que uma experiência em casa de família seja bem sucedida, são eles: Que estas pessoas que estão te recebendo te acolham com simpatia, que sejam mais uma forma de você praticar o idioma local com nativos e, principalmente que haja uma troca cultural interessante. Daí a você desenvolver um laço maior de amizade, depende muito da sua identificação pessoal com cada membro familiar.

Em todo caso, acho a experiência super válida e recomendo principalmente para o primeiro intercâmbio. Depois, mais maduro, você pode até optar por um alojamento ou flat onde terá mais independência, no entanto pelo menos, uma vez na vida, a homestay  é uma coisa que precisa ser vivida quando a assunto é Intercâmbio.

Pensando nisso, abaixo seguem os TOP 30 dicas que considero importantes para um intercambista saber o que esperar da sua acomodação em uma casa de família, e se sentir mais confortável e mais facilmente integrado a este novo e temporário entorno familiar – a sua homestay no exterior!

 1) “Por favor” e “obrigado”, são frases internacionais. Use-as quando você pede ou recebe alguma coisa.

 2) Sempre tente se comunicar claramente com a sua homestay. Seus anfitriões não podem saber o que você está pensando. Eles não vão saber o que você precisa se você não lhes disser. Se você está com frio e precisa de outro cobertor, diga. Se você precisa de mais toalhas, peça.

3) Sempre avise à homestay onde você está indo e quando você vai estar em casa. Seus anfitriões vão ficar preocupados se você estiver atrasado. Se a sua família ligar, seus anfitriões precisam saber onde você está.

4) Tão logo quanto possível, pergunte aos seus anfitriões quais são as regras da casa. Pergunte sobre:

Horário de T.V

Horários de banho.

Horários de refeições

Em que volume você pode tocar música e até que horário.

Quais dependências da casa que você pode usar.

5) Se existem máquinas que você pode usar, tais como fax ou computador, e como operá-las. Se a casa tem um sistema de alarme de segurança e, caso tenha, como usá-lo.

6) Você vai achar que as refeições no exterior têm um sabor diferente das refeições do Brasil, e não vai ter aquele feijãozinho com arroz no almoço, este costuma ser uma lanche rápido e o jantar normalmente é a principal refeição.

7)Sinta-se à vontade para dizer aos seus anfitriões do que você gosta. O que fazer se só existe bananas na casa e você não as come? Diga ao seu anfitrião “eu prefiro laranjas em vez de bananas”. A frase “eu prefiro” é uma frase útil. Você pode deixar que o seu anfitrião saiba o que você quer sem ser negativo. Se você diz “eu odeio bananas”, o seu anfitrião poderá ser ofendido. É mais útil dizer o que você gosta ou até mesmo perguntar sutilmente onde você pode encontrar tal alimento, muitas vezes, eles se oferecem para comprar.

8) Se você gostaria de uma segunda porção na hora do jantar, não tenha medo de pedir. Você pode dizer “isto é muito bom, eu poderia repetir?”. Se o seu anfitrião perguntar se você quer mais, diga “sim” na primeira vez. No exterior, não é um costume dizer “não” só de “charminho” quando, na verdade você quer dizer “sim”.

9) Espere que os anfitriões lhe sirvam comida própria do lugar. Não espere que eles saibam cozinhar comida do seu país. Seja aventureiro (a) e mente aberta. Ah! eu sei ninguém cozinha tão bem quanto a “zefinha” que lhe criou (no meu caso, a Lídia) mas, isto não significa que você não pode experimentar coisas novas, desenvolver seu paladar e adquirir novos hábitos.

10) Se você quiser usar a cozinha, pergunte aos seus anfitriões se você pode fazer isso.

11) Evite cozinhar em horas impróprias: Os anfitriões geralmente não gostam que as pessoas estejam cozinhando em sua cozinha, ou muito cedo pela manhã, ou muito tarde, à noite.

12) Pergunte como utilizar os eletrodomésticos tais como torradeiras e forno de microondas, frequentemente são diferentes de um país para outro.  Caso você quebre um eletrodoméstico, ofereça-se para substituí-lo ou repará-lo.

13) Não existe compensação se você perder uma refeição na sua acomodação familiar.  Isto é, na há substituições. Isto significa que você não pode almoçar porque não tomou o café da manhã.

14) Se você tem alergia a quaisquer alimentos, informe os seus anfitriões imediatamente. Eu, por exemplo, tenho alergia a frutos do mar e sempre deixava isto claro quando chegava na homestay.

15) Se você vai perder uma refeição, telefone e diga aos seus anfitriões. Faça isso duas horas antes da refeição. É indelicado deixar que o seu anfitrião cozinhe para você, se você não vai estar lá. Você precisa deixar que os seus anfitriões saibam antes que eles comecem a preparar a refeição. Parece besteira, mas, principalmente nos países que passaram por guerras, todo o tipo de desperdício não é visto com bons olhos. Além disso, se você vai chegar tarde para o jantar, os seus anfitriões podem manter a sua refeição quente para você até certa hora, mas não até muito mais tarde. Você poderá usar o microondas para aquecer a sua refeição.

16) Os anfitriões sempre são cuidadosos a respeito da privacidade dos outros. Se você chega emcasa, vai para o seu quarto e fecha a porta, eles vão pensar que você não quer perturbado. Se você quer interagir e praticar o idioma, demonstre isto ficando nas áreas comuns da casa e puxando assunto.

17) Não espere que o seu anfitrião o convide para assistir TV ou falar com ele. É normal juntar-se a estas atividades sem esperar um convite.

18) Se você quer trazer um amigo para jantar na casa, primeiro telefone para pedir autorização: A cultura de outros países nem sempre é do tipo “mãe, cheguei com 20 amigos para almoçar” “Que ótimo filho, só vou botar mais água no feijão e fica tudo certo”. 

19) Não fume em uma acomodação familiar para não-fumantes.

20) Você não poderá ter um convidado para passar a noite. A menos que tenha autorização expressa para isto. Na minha homestay de La Rochelle da França, uma colombiana que também estava na cada levou um carinha para dormir no quarto dela. A hostmother acordou e viu uma figura no banheiro da sua casa. Nem precisa dizer que esta estudante foi convidada a deixar esta homestay não é?!

21) Não guarde bebidas alcoólicas no seu quarto. Principalmente se for menor de idade.

22) Nem precisa dizer que você não poderá usar qualquer tipo de drogas ilícitas na sua acomodação familiar.

23) Se você voltar tarde para casa, tenha cuidado para não acordar as outras pessoas da casa quando você chegar. Se quando chegar tarde você fizer barulho e acordar as pessoas da casa, seus anfitriões poderão achar necessário estabelecer um horário para você se recolher.

24) A menos que tenha optado por um quarto duplo (compartilhado com outro estudante), você normalmente terá o seu próprio quarto individual com cama e uma mesinha para estudar e, geralmente, uma chave da casa. Procure mantê-lo em ordem (na medida do possível). Algumas casas mais antigas têm armários muito pequenos nos quartos. Se você precisa de mais armários, peça aos seus anfitriões um espaço fora de seu quarto, onde você pode pendurar ou guardar roupas. Dinheiro, passaporte e objetos de valor devem ficar trancados na sua mala e não soltos pelo quarto.

25) Quanto a lavagem de roupa, seus anfitriões lavam os seus lençóis e toalhas da casa uma vez por semana. Se eles esquecerem de fazer isso, lembre-os de dar-lhe as suas toalhas e lençóis limpos. Você é, no entanto, responsável pela lavagem da sua roupa pessoal. Compre o seu próprio detergente e amaciante de roupa. Pergunte ao seu anfitrião quando é o melhor dia e hora para lavar as suas roupas. Peça aos seus anfitriões para mostrar-lhe como usar a lavadora e secadora de roupa. Espere até que você tenha roupas em quantidade suficiente para encher uma máquina, antes de lavá-las. Alguns anfitriões preferem lavar a sua roupa. Neste caso, dê as suas roupas aos seus anfitriões no dia da lavagem. Outros podem sugerir uma lavanderia próxima.

26) Você, provavelmente, vai dividir o banheiro com outras pessoas, isso quer dizer que você poderá precisar ser flexível sobre horário de banho e chuveiro pois  poucos estudantes têm o seu próprio banheiro. Não gaste mais de 10 minutos no banheiro cada vez que usá-lo. Se você quiser passar um longo tempo na banheira ou chuveiro, certifique-se de que ninguém mais está esperando para usar o banheiro, os estrangeiros geralmente tomam um banho ou ducha uma vez por dia. Tente não tomar banho mais do que uma vez por dia, a menos que seja realmente necessário. Você não tem que limpar o banheiro, mas tenha a certeza de que vai deixá-lo da mesma forma que o encontrou, não o deixe molhado ou desarrumado para a próxima pessoa, se este for o caso, alguns anfitriões podem pedir que você seque a banheira e os azulejos após o banho ou a ducha. Se eles pedirem, pergunte onde eles querem que você deixe as toalhas molhadas. Se você tem o seu próprio banheiro, eles podem pedir que você próprio o limpe.

27) Você não tem que limpar a casa, cuidar de crianças, ou fazer qualquer trabalho externo. No entanto, no exterior, não é um costume ter uma empregada para fazer o seu trabalho doméstico, pois a maioria dos homens e mulheres trabalham fora e, por isto, você poderá ver homens e mulheres e mesmo crianças dividindo os trabalhos domésticos. Você pode oferecer-se para ajudar, apenas por gentileza, pois é educado ajudar a tirar a mesa após o jantar e perguntar se você deve lavar o prato e os talheres que você usou na refeição.

28) A melhor opção é evitar usar o telefone da sua casa de família, mas, desde que acordado previamente com a família, você poderá fazer chamadas locais e chamadas a cobrar da sua acomodação familiar. Peça aos seus anfitriões para fazerem a chamada a cobrar para você. Dê a eles o código do país, código de área e número do telefone. A menos que você esteja usando um cartão telefônico para longa distância, você não pode fazer chamadas de longa distância da sua acomodação familiar.  Ah, e lembre-se que você está dividindo o telefone com as outras pessoas da casa, por isto, nunca gaste mais do que dez a quinze minutos no telefone e diga aos seus amigos e familiares e namorado(a) para chamá-lo (a) depois das 7h da noite e antes das 10h da noite, horário local.

29) Pergunte qual é o número de telefone para emergências local e como utiliza-lo.

30) Se você não tem certeza a respeito da “maneira local de fazer as coisas”, pergunte aos seus anfitriões ou ao coordenador de acomodação da sua escola.

Ou seja, no caso do relacionamento com a homestay vale a regra para qualquer relacionamento: DIALOGO + RESPEITO E EDUCAÇÃO e, certamente seguindo estas dicas você não terá problemas!

Boa Sorte e Boa Viagem!

Bjs,

Marina

  1. Oi Marina achei super bacana a sua matéria! A proposito vc teria alguma indicação de Homestay em New York USA?


  2. Tenho muito interesse em realizar esse intercâmbio no Chile , tenho 35 anos , sou de fácil adaptação , boa D de casa , com formação acadêmica , estou disposta a tudo para ter essa oportunidade . Trabalho numa multinacional no Brasil , porém desejo muito ter essa conquista em minha vida . Poder estudar e trabalhar no Chile .


  3. Parabéns Marina, ótimo artigo, muito esclarecedor, gostei muito!


  4. Marina, próximo ano farei intercâmbio para NY e ainda estou muito em dúvida quanto à acomodação!! Por ser uma cidade maior o que você recomenda?


  5. Bom dia, gostaria de saber se consegue uma família para me receber, sou limpo não bebo não fumo!! Quero apenas estudar me graduar e voltar para meu país com um experiência de se orgulhar e com certeza enriquecer meu currículo


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *