Posts com a tag viagem

TOP 5 lições fundamentais dos Jogos Olímpicos que todo Intercambista deveria aprender

01 de setembro de 2016 | Postado por Marina em Intercâmbio de A a Z

Olá viajantes! Tudo bom?

A essência dos jogos olímpicos revela como os atletas e as equipes lidam com o desafio de serem melhores em suas modalidades, onde cada um, independentemente dos resultados, encontrou um esporte (atividade) que o levou a dedicar anos de suas vidas ou quase a sua vida inteira, para viver o encaixe perfeito entre a sua paixão, habilidades e propósito.Há uma infinidade de lições que os atletas de alta performance nos ensinam, e nesse post falaremos sobre TOP 5 lições fundamentais que  todo intercambista deveria saber:          

1a lição: Conheça a si mesmo e foco verdadeiramente no seu objetivo:

Isso começa antes ainda de sair do Brasil!Se você focar, será mais simples e fácil dedicar-se insanamente à melhoria habilidades necessárias para chegar aonde deseja. Seja ir para o país que sonhou,  seja conseguir valor que precisa investir  ou mesmo o resultado acadêmico que você precisa atingir..

2a lição: Treine e meça constantemente seu desempenho

Não existe intercambista que vença estudando ou se dedicando eventualmente. A rotina de preparação dos atletas é diária com medições diárias assim como deve ser o dos intercambistas. Qual a lógica disso? A excelência vem da prática deliberada, constante e aprimorada.

3a lição: Mantenha o seu controle emocional

Os atletas que ganham medalhas são aqueles que se preparam fisicamente e emocionalmente. A mente fraca desestabiliza qualquer habilidade que você tenha. Conheço pessoas maravilhosas que perderam oportunidades ímpares de ter sucesso no intercambio por medo de tentar, por insegurança diante de dificuldades e até por momentos de fraqueza e que, infelizmente fizeram com que toda a experiência fosse comprometida. Lembre-se: quando tudo está bem, todos nós somos inteligentes emocionalmente mas é no desafio de lidar com dificuldades que aprendemos e evoluímos.

4a lição: Persista até conseguir

Os atletas que vencem são aqueles que persistem apesar da dor física e emocional das perdas, das críticas e da falta de recursos. Muitos intercambistas querem ter resultados instantâneos e sentir-se adaptado desde a chegada ao exterior e quando algo não sai como o esperado, em lugar de reavaliar e ajustar o que está sendo feito, desiste da mudança, coloca a culpa na cultura, comida ou clima do novo país e querem voltar para o Brasil e, frustrados depois reclamam:” fiz tudo e nada funcionou por isso, prefiro voltar, pra mim já deu, não quero mais sair da minha zona de conforto do Brasil “.O atleta de alta performance entende que se o resultado não foi alcançado certamente, existe algo que ainda não foi feito como deveria.

5a lição: Supere seus limites

A essência de qualquer atleta de alta performance é superar seus próprios limites. Não importa o que foi alcançado, eles querem ir além de si mesmos. Ainda há muitos líderes que após uma grande vitória, acham que ganharam o jogo, param de se esforçar com o intuito além das metas alcançadas, começam a achar que já sabem de tudo e sucumbem diante da própria soberba. Lembre-se de que  novas culturas e idiomas tem nuances e nunca se sabe o bastante sobre tudo. Com certeza até mesmo dentro da própria cultura brasileira existem coisas que nós desconhecemos por ser de outra região ou época. Se você já acha que sabe tudo da língua inglesa ou dos EUA por exemplo, experimente saber mais da Espanha, da China ou da Rússia, tenho certeza que você se surpreenderá com milhões de novos conhecimentos que você poderá absorver a respeito do mundo, de outras línguas e, de você mesmo!

Bjs e até a próxima viagem,

Marina

 

Índia: muito além do Taj Mahal

05 de maio de 2014 | Postado por Marina em India

Conhecer a Índia era um sonho antigo, mas da mesma forma que o destino me atraia e me encantava, também me deixava um tanto insegura e cheia de dúvidas. Sempre achei que na Índia não teria meio termo. Ou ame ou odeie, porque nada em uma viagem à Índia e previsível. Você pode até mesmo amar e odiar no mesmo dia  Para saber mais dessa minha experiência na terra dos marajás basta conferir o meu novo post de viagem lá no portal TagIt clicando aqui!

Top dicas de turismo para quem viaja sozinho por Fred Morais!

09 de novembro de 2013 | Postado por Marina em Dicas de Viagem

Viajar sozinho é, basicamente, fazer apenas o que se tem vontade Seja por opção ou por falta de uma companhia disponível na época escolhida, o fato é que viajar sozinho pode ser uma agradável e inesquecível aventura. “Mas para guardar apenas boas lembranças e evitar aborrecimentos, é importante investir em um bom planejamento”, comenta Fred Moraes, gerente da agência STB (Student Travel Bureau) em São Paulo.

Vantagens e desvantagens

Nem sempre é fácil estar só em um lugar desconhecido – seja no Brasil ou no exterior. “Você não poderá contar com a ajuda de amigos em uma situação de dificuldade e talvez não tenha com quem conversar e dividir os bons momentos”, diz Fred. Mas o turismo solitário tem vários pontos positivos! “Sem companhia fica mais fácil entrar em contato com a cultura local”, conta. Além disso, essa pode ser uma ótima oportunidade para conhecer novas pessoas e fazer boas amizades. E tem mais: você terá total liberdade para organizar o seu roteiro e decidir os locais que deseja conhecer. Analise qual cidade combina com seu estado de espírito, já que viajar sozinho é, basicamente, fazer apenas o que se tem vontade. Quer descansar pra valer? Vá para uma praia deserta e relaxe!
Prefere visitar igrejas e museus? A Europa pode ser o destino perfeito! Outra vantagem é que cabe somente a você escolher a época em que quer viajar. “Se possível, opte pela baixa temporada, época em que os preços de hotéis e passagens aéreas ficam mais baixos”, orienta Fred. Continuar lendo

NYC Map: Desvendando “the City that Never Sleeps”

02 de julho de 2013 | Postado por Marina em EUA

Olá viajantes!

Tudo bom?!

Quem gosta de NY levanta a mão! Eu adoro! Pela sua efervescência de metrópole, pelos seus cantinhos, espetáculos, museus, compras…

No entanto, nas duas vezes que fui à turismo (e passei 5 dias cada) não deu tempo de eu me sentir “native” já que trata-se de uma cidade com muitas nuances e além de suas atrações principais, existe também a lógica de geolocalização. Pensando nisso, pedi ajuda à Carol Guedes que passou 1 ano morando no coração da Big Apple para me ajudar a escrever um post sobre a geolocalização nova-iorquina, e ele segue logo abaixo:

A pergunta que não quer calar: “Carol, eu nunca entendi muito bem a lógica do mapa de Nova York. O que significa exatamente a décima segunda com terceira? Sei como é na teoria mas na prática sempre me atrapalho. Além de pedir um Drink Cosmopolitan ( ou “Cosmo”) Como posso parecer Carrie Bradshaw do seriado Sex and the City  e “dar a entender” que  sou “local” em Manhattan da próxima vez que pegar um taxi em NYC ?! kakakaka! HELP”.

Carol: Pra quem vai muito ou pra quem já morou lá é muito fácil se localizar nesse mundo de ruas e avenidas paralelas.A ilha de Manhattan é cortada de norte a sul por 16 avenidas e cortada de leste a oeste por 155 ruas.  As avenidas são numeradas de 1 a 12  mas entre as avenidas 3° e 5° temos a Lexington avenue, a Park e a Madison. Outra avenida famosa da cidade é a Broadway, que não obedece à mesma configuração das outras avenidas, já que não é paralela.  A quinta avenida separa a cidade em duas partes: lado east (da 1° a 5°) e lado West (da 6°, ou avenida das Américas, até a 12°). A maioria das ruas são perpendiculares às avenidas com exceção do sul da ilha (Soho, Tribeca, Village), onde as ruas levam nomes, ao invés de números e são verdadeiros labirintos. Ali não tem jeito, é preciso de um mapinha para se achar.Quando dizemos, por exemplo, o endereço 135w 15 street (o endereço onde morei),  significa que o número do local é 135 do lado West e fica localizado na rua 15. Se fica do lado West, é depois da 6° avenida (nesse caso, fica entre a 6° e a 7° avenida).

Mas, quando estamos vendo filmes e um personagem fala para o taxista: 48 com a sétima, significa que ele quer ir para a rua 48 em um ponto perto da 7° avenida. Continuar lendo

OFF LINE – Porque sou contra o wi-fi no avião:

31 de maio de 2013 | Postado por Marina em Intercâmbio de A a Z

Não me levem a mal, amo tecnologia. E, principalmente me fascino a cada dia com as incríveis funcionalidades de aplicativos das mais diversas categorias que surgiram para facilitar a nossa vida. O mundo na palma da mão, isto nunca foi tão verdade quanto no tempo dos smartphones. Jogar, ler, pesquisar, trocar ideias, se socializar ou namorar.

Palavras escritas têm uma vantagem. Ficam para sempre. Ou uma desvantagem, dependendo do que se escreva. O ponto aqui é: Quais lugares hoje no mundo é possível ficar off-line? Não por opção, mas por circunstância. Poucos. Isso,consequentemente nos  remete a uma outra questão:

O quão importante é se permitir (assim sem culpa) encontra-se consigo mesmo – sem ser interrompido por um toque, ou um aviso para informar o que quer que seja?

A  vida é curta, isto sempre soubemos. O dia também ficou mais curto. São tantas as formas de interação virtual que por mais que você ache que está “em dia” com o facebook, está lá o instagram e o twitter para te provar que ainda restam 50 minutos para enfim desligar tudo.

Desligar também  pode significar produzir, criar, o tal ócio criativo que falava Domenico de Maggi.

Em um avião, você pode se permitir descobrir o outro sem interrupções tecnológicas ou descobrir a si mesmo com uma leitura ou uma reflexão.

Não sei se isso faz algum sentido para você, mas ler um livro inteiro em um voo  Recife – São  Paulo me traz tamanho prazer. São 3 horas  minhas, de direito.para cochilar ou despertar sem compromisso.

Porém, assim como a vida, o voo é curto. Já está pousando em meio aos avisos de apertar cintos e é tempo de voltar a ficar on-line, no mundo real e virtual e não naquele no meio das nuvens e mais perto do céu.

(Hoje viajo para merecidas férias e terei chance de ler muitos livros já que as horas de voo prometem…Destino: surprise!. Quando eu voltar,teremos muitos novos posts no blog).

Bjs, e até a volta!

Marina.

EUA deve abolir formulário de entrada I-94

03 de abril de 2013 | Postado por Marina em EUA

Olá viajantes!

GoodNewsFolks!

O U.S. Customs and Border Protection dos EUA , publicou que a partir de 26/04/2013 não irá mais requisitar aos turistas que chegam ao país, preencher o formulário I-94 ( aquele que fica grampeado no seu passaporte até a data da sua volta.) A medida foi tomada a fim de diminuir o tempo em espera das filas, otimizar o procedimento, diminuir a papelada, reduzir custos e automatizar o processo. Confira o comunicado oficial aqui.

 

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

 

 

Viajar é caro? Nem sempre! TOP 13 programas FREE para você fazer enquanto estiver viajando:

18 de janeiro de 2012 | Postado por Marina em Dicas de Viagem

1. Visitar museus

Londres, mesmo sendo considerada uma das cidades mais caras do mundo,tem uma grande vantagem:  a  maioria dos museus é gratuita sempre. Em outras capitais, alguns dias também são gratuitos: O Louvre em Paris é FREE no primeiro Domingo de cada mês. Já o MoMa de NY e gratuito nas sextas-feiras entre 16 e 20h.

2. Fazer walking tours

Em NY, o Big Apple Greeters, tem tours andando gratuitos enquanto  Sandeman’s New Europe Tours oferece FREE tours em Amstersdam, Berlim, Londres, Paris, Madrid entre outras!  Vai para a Austrália? Em Sydney, o I’m Free opera um tour similar.

3. Comer

Uma tradição nos pubs irlandeses é ter comida gratuita nas sextas-feiras a tarde. Pode ser pizza, sanduiches etc…. Em Milão e, em várias cidades italianas  comprando bebida você tem muitos aperitivos grátis também. Está em New York? segue aqui uma lista de 10 bares que serves comida de graça!  – ten bars that serve free food

4. Assistir à shows de música ao vivo

Se você está em Edimburgo (Escócia) o ‘Whistlebinkies’ em South Bridge tem música gratuita quase todas as noites. Isto também acontece no Red Lion  na Bleecker Street em Greenwich Village em NY. Em Londres, no bar ‘Ain’t Nothin’ But The Blues’  na  Kingly St no Soho e em Paris, no ‘Le Pompon’ na Rue des Petites Ecuries. Se estiver em Melbourne na Austrália, vá ao The Esplanade no bairro St Kilda. Já se estiver em Vancouver, o Railway Club na Dunsmuir Street  também tem música ao vivo for free!

5. Visitar os cartões postais da cidade!

Em Berlim o Brandenburg Gate, em San Francisco, a Golden Gate Bridge, em Sydney, a Opera House, em Istambul, a Mesquita Azul, em Paris, a Torre Eiffel! Já parou para pensar que para tirar AQUELA FOTO e ver AO VIVO o que você sempre viu em cartão postal é normalmente de graça!?

6. Faça novos amigos

Viajar sozinho ou com pessoas abertas a fazer novas amizades pode ser um dos highlights de uma viagem! Em cada canto do mundo sempre haverá  potenciais novos amigos ou companheiros de viagem que podem vir a ter uma super afinidade com você! Give new friends a change!

7. Ficar em forma

Economizar em transporte público, conhecer mais a fundo cada lugar  e perder calorias para poder comer sem culpa mais tarde! Estas são três grandes vantagens de percorrer cidades à pé.

8. Visitar templos ou Igrejas

Normalmente gratuitos ou custando apenas uma pequena contribuição, muitas cidades têm na sua fé a explicação para muito da sua cultura! Não deixe de conhecer templos na Ásia ou Igrejas na Europa – São passeios baratos e quase sempre fascinantes mesmo que você não seja lá tão religioso.

9. Observar as pessoas na rua

Muita gente fala que parisiense é chato, mas tá aí uma coisa que eles respeitam muito: Você sentar em um café super badalado, pedir apenas um espresso e ler todo o seu jornal alí enquanto aproveita para observar a movimentação da linda Paris sem ser incomodado. Em várias praças e avenidas na Itália, isto também pode ser um ótimo programa enquanto você saboreia um típico gelatto. Quer uma sugestão? experimente a Piazza della Signoria em Florença. Está nos EUA? A Venice Beach em Los Angeles também pode ser este lugar de contemplação de gente!

10. Rir muito sem gastar um centavo

Na moda das comédias Stand Ups, várias cidades oferecem programações gratuitas neste sentido. Em Londres, uma das comédias gratuitas mais populares é o ‘Geek Night’  que acontece no primeiro domingo do mês na  Soho’s comedy club. Em Chicago, o Comedy Sportz Theatre também tem comédia grátis.

11 Explorar os mercados públicos

Mercat de la Boqueira em Barcelona, Monasteraki Fish Market  em Atenas, Souks (mercados) em países árabes….Com certeza, toda cidade terá um mercado típico esperando por você!

12. Passar um tempo só observando o mar

Eu amo sol e praia! E, em muitas cidades do mundo, passar um tempo em suas praias é um must do!  Sydney, Vancouver, Cape Town são só alguns exemplos! Até Paris faz praia artificial no verão!

13 Relaxar no parque

Se a cidade não tiver praia não tem problema, o parque pode cumprir este papel! Central Park em NY, High Park em Toronto, Englischer Garten em Munique…Neste ultimo tem até surfista no rio!

E aí? Gostaram as dicas para viajar bem e batato?

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

Montreal: A cidade é bilíngüe, mas as opções de diversão são múltiplas! Seguem aqui as Top 5´s!

13 de agosto de 2011 | Postado por Marina em Canada

Oi Viajantes!

Se você pretende visitar Montreal  no inverno, engana-se se pensa que as pessoas ficarão trancadas em casa só porque lá fora a temperatura média é de meros – 20! kkkkk

Montreal é uma cidade animada, multicultural, festiva e LINDA!

Ah, e se você acha que só quem comemora e faz festa (de verdade) é o brasileiro, assista a um típico jogo de Hockey no Bell Centre (www.centrebell.ca) e lembre-se das comemorações das finais de campeonato de futebol do Brasil!

Também no inverno, não deixe de ir ao Mount Royal que inspirou o nome da cidade: Montreal. Além de ter uma vista linda da cidade, tem parques para curtir um friozinho bem canadense e depois se aquecer com um chocolate quente!

Abaixo outras atrações imperdíveis desta cidade due (metade inglês e metade francês) que vem encantando cada vem mais brazucas seja para aperfeiçoar o inglês, o francês ou mesmo morar definitivamente (já que o programa de imigração a província de Quebec, onde Montreal fica localizada, é super “friendly” aos brasileiros qualificados que buscam a residência permanente)!

1)Churches- l’eglise:

Say a Little Prayer for You: Existem diversas igrejas bonitas em Montreal. A mais imponente delas é a Saint Joseph´s Oratory. E, você não precisa ser religioso (a) para apreciar esta linda construção arquitetônica!

 

2) Festivals – le Festival

Existem dois festivais de peso em Montreal: O Jazz Festival (www.montrealjazzfest.com) que acontece no verão e é imperdível E, para os amantes das comédias Stand up´s (Agora super in no Brasil), vale dar uma risada “em inglês” no Just for Laughs Festival (www.hahaha.com)

3) Shopping- faire du shopping

Shopaholics de plantão não passam frio em Montreal! O metrô é conectado com o principal shopping da cidade então, nada de congelar as mãozinhas enquanto carrega as compras pela neve!

4) Fun- l’amusement

Se você sentir uma saudadezinha dos parques da Disney, desfrute do La Ronde (www.laronde.com/), um dos membros do parque SixFrags na Califórnia. As montanhas -russas são das mais radicais!

 

5) Eating- manger

Em um domingo frio  em que o edredom não lhe deixar sair da cama, acorde mais tarde e desfrute de um brunch (mix de café da manha e almoço) no Chez Cora (http://www.chezcora.com/montreal-centre-en). Experimente os Crepes, as frutas frescas e um pouco de Nutella (que ninguém é de ferro!).

Se animou?! Quer dicas de escolas de inglês e de francês por lá?! Recomendo a LSC (www.lsc-canada.com/) e a ILSC (www.ilsc.ca) !

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

Aumenta o número de estudantes em busca de intercâmbio no exterior

11 de agosto de 2011 | Postado por Marina em Intercâmbio de A a Z

Segundo gerente de agência de intercâmbios, não há idade para estudar em outro país; neste ano, apenas na Unicap, 71 estudantes devem fazer intercâmbio.

Assista o vídeo clicando aqui!

10 coisas que adoro sobre a Europa:

02 de agosto de 2011 | Postado por Marina em Dicas de Viagem

O velho continente é minha paixão! Toda vez que eu vou para a Europa, sinto um mix de estar sempre descobrindo uma coisa nova e, ao mesmo tempo a tranquilidade e a segurança de estar “em casa”. Como falei, semana passada passei pela Inglaterra e Alemanha e no vôo Munique -Londres,  fiz uma listinha, na revista de bordo da lufthansa do que mais gosto da Europa e transcrevi aqui para vocês:

1) O fato de os países ficarem super perto um do outro e, seja de trem ou de avião em poucas horas, chegamos a outro país totalmente diferente em termos de língua, cultura, gastronomia. E a maior diversidade que já vi em distancias tão pequenas. Para nós que vivemos em um país  tão grande quanto o Brasil é fascinante! Basta dizer que, se eu pegar um vôo de Recife, chego mais rápido em Lisboa do que em Porto Alegre, ou seja, nossa país é mesmo muito grande!

2) As cidades são super bem sinalizadas e o transporte público mega pontual e normalmente totalmente interligado. Os passes interligam ônibus, metrô e trêm e os passes tem planos distintos que normalmente permitem uso ilimitado por 24h, três dias, uma semana ou um mês.

3) Podemos beber água da torneira na maioria dos países (praticidade e economia com garrafinhas de água mineral).

4) É possível bater perna por toda a Europa ficando em hotéis ou albergues bem razoáveis (a partir de 15 Euros por dia) e, é possível se alimentar nas pizzas a EUR 1 ou nos Kebab´s, paninis ou crepes que não passam de EUR 2. Ou seja, é possível viajar sem gastam muito.

5) A qualidade dos museus para mim é inigualável. O legado mundial de várias civilizações vai estar nos principais museus de países como Franca, Alemanha ou Inglaterra. Além de, é claro, museus específicos de artistas em especial, ex: Picasso na Espanha. Ou, ainda de fases da historia, ex: Socialismo na Alemanha e Leste Europeu. Enfim…. Qual aula de historia pode ser melhor que esta experiência in loco?! E, o melhor, no caso de Londres, por exemplo, a maioria dos museus tem entrada gratuita! Já em outras capitais, sempre tem um dia por semana ou por mês onde paga-se nada ou muito pouco para entrar!

6) As estações do ano são super bem definidas e, vive-se e contempla-se ativamente cada folha que cai no outono, raio de sol do verão, floco de neve do inverno ou frutas que aparecem na primavera.

7) As pessoas andam MUITO a pé. Mesmo que não façamos esporte ou academia, a dinâmica e segurança das cidades nos estimula a bater muita perna para descobrir cada cantinho deste continente apaixonante.

8) As pessoas respeitam regras, filas e horários…as coisas funcionam sem “jeitinho” mas com funcionalidade.

9) As cias low cost como easy Jet ou Ryan Air fazem com que o céu seja o limite. Para quem está em Paris, Londres é logo aí. Assim como para quem está em Moscou, Berlim é um pulo ou, ainda, se você esta em Amsterdam não terá nenhuma dificuldade em passar o final de semana na ilha espanhola de Ibiza.

10) Com o dólar baixo, uma passagem do Brasil para qualquer cidade européia custa cerca de USD 900 ida e volta. Portanto, por algo em torno de R$ 1400 você consegue ir para as bandas européias e ter um banho de cultura, história e civilização direto da fonte.

 

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

Página 1 de 3123