Posts com a tag Canadá

Mais mudanças no visto para estudantes internacionais no Canadá a partir de 01 de junho!

24 de março de 2014 | Postado por Marina em Canada

Olá viajantes! Tudo bom?

Pensando em fazer Intercâmbio no Canadá? Fique por dentro das mudanças já aconteceram e que ainda  vão acontecer em relação ao visto canadense:

Relembrando….
Desde fevereiro/2014, quem tirar o visto de residente temporário para o Canadá poderá visitar o país quantas vezes quiser, ou seja, com múltiplas entradas, dentro do período máximo de até cinco anos. Contudo, o oficial da imigração poderá designar uma validade do visto inferior, conforme o perfil do requerente. O limite de permanência máxima no país continua sendo de 6 meses.
A medida foi anunciada pelo governo canadense no início desta semana, com o objetivo de acelerar a economia local, e de simplificar o trâmite para emissão de vistos consulares, já que, desta forma, os turistas poderão visitar o país mais vezes, sem ter que tirar visto cada vez que for viajar.A mudança é válida para quem ainda vai tirar o visto canadense. Quem já tirou o visto anteriormente não precisará solicitar o documento de novo, pois já terá um visto ainda válido.Sobre como fazer para solicitar o visto de residente temporário,os trâmites continuam iguais.assim como o rigor para a aprovação dos vistos também continua o mesmo.O que mudou, mesmo, na parte do requerimento de visto para residente temporário, é que agora não existem mais uma taxa para única entrada e outra para múltiplas entradas. A taxa foi unificada, e ainda mais barata do que a cobrada para tirar o visto para os Estados Unidos (US$ 160).O visto de residente temporário é indicado para quem vai viajar a turismo, negócios, trânsito, ou para quem vai estudar até 24 semanas, e permite a permanência no país por, no máximo, seis meses, a cada entrada.

AÍ você vai me dizer: “Sim Marina, isso eu já sabia”, qual a novidade? A novidade é  que a partir de 01 de junho, 2014, as regras para os programas de estudo + trabalho também vão mudar para  os cursos de idiomas:

O CIC (Citizenship  and Immigration Canada) anunciou que o C30 que concedia autorização para que as escolas de  idiomas do Canadá oferecessem programas de trabalho aos estudantes, será cancelado a partir de 01 de junho de 2014. Ou seja:

– Estudantes não podem mais aplicar para uma permissão de trabalho C-30 para um programa de estudo + trabalho (Co-Op) em uma escola de línguas. (O que era uma coisa ótima pois trabalhar ajudava na mantenção do estudante durante o intercâmbio e possibilitava que passassam mais tempo no exterior)

– Estudantes já em um programa de estudo + trabalho (Co-Op) estão autorizados a completar o programa

– Estudantes que receberam uma carta de introdução para o programa de estudo + trabalho ( Co-Op) para pedidos de visto enviados antes de 01 de junho de 2014 estarão autorizados a começar seu programa de estudo + trabalho em qualquer data de início.

– Estudo não precisam de work permit para estágio ou trabalho em fazenda (ranch stay) não-remunerado.

– Estudantes com um working holiday visa não são afetados por essas mudanças.

Informações adicionais:

– Estudantes matriculados em um instituto (colleges/universidades públicas ou privadas) para um programa de estudos vocacionais, acadêmicos ou profissionais serão autorizados a trabalhar fora do campus por um máximo de 20 horas semanais (e período integral durante férias/feriados acadêmicos) sem requerer um work permit a partir do dia que seu programa comece.

– Institutos específicos (colleges/universidades públicas ou privadas) estão autorizados a oferecer um programa de estudo + trabalho (Co-Op) como parte de um programa vocacional, acadêmico ou profissional.

O CIC (Citizenship and Immigration Canada) publicou as mudanças completas aqui:
http://www.gazette.gc.ca/rp-pr/p2/2014/2014-02-12/html/sor-dors14-eng.php

Bjs e até a próxima viagem!
Marina.

Pesquisa do renomado The Economist revela as melhores cidades do mundo para fazer faculdade

15 de julho de 2013 | Postado por Marina em Canada

Pensando em estudar fora? Se a ideia for fazer um curso de graduação, Montreal, no Canadá, é a cidade que oferece as melhores condições. A conclusão é do estudo Sea Turtle Index, feito pela The Economist Intelligence Unit (EIU, unidade de pesquisas do grupo The Economist) para o banco chinês Bank of Communications, que mediu o custo benefício para estrangeiros de realizar uma graduação fora de seu país.

A pesquisa avaliou 80 cidades e regiões do globo em cinco critérios: retorno educacional (qualidade dos cursos x preços), retorno financeiro (investimentos e riscos econômicos), ambiente do mercado imobiliário, abertura do mercado de trabalho e experiência social.

Com esses critérios, alguns achados interessantes apareceram. O efeito da crise econômica, por exemplo, pesou nas cidades que aumentaram o nível de desemprego. Já o efeito do câmbio foi sentido em lugares onde a moeda tem cotação alta.

Confira os detalhes dos dez primeiros colocados no ranking.

1) Montreal

Pontuação total: 72,4 pontos
Retorno educacional: 73,3 pontos, em 6º lugar (empate)
Retorno financeiro: 57,2 pontos, em 52º lugar
Mercado imobiliário: 69,8 pontos, em 12º lugar
Experiência de trabalho: 66,4 pontos, em 4º lugar
Experiência social: 92,5 pontos, em 1º lugar (empate) Continuar lendo

“O brasileiro é o povo mais feliz do mundo” Será? Seguem osTop 10 países mais felizes do Mundo!

15 de maio de 2012 | Postado por Marina em Curiosidades Culturais pelo Mundo

Olá viajantes! Tudo bem?!

Nós sempre  ouvimos aquela história que o brasileiro é o povo mais feliz do mundo! Será?!

 A comissão de desenvolvimento humano das nações unidas realizou um estudo baseado em renda per capta, nível de educação, saúde, expectativa de vida, economia do país, igualdade de gêneros e sustentabilidade.

Sabem quais nações foram consideradas as 10 mais felizes do mundo?! A lista segue logo abaixo e, muitos deles estão entre os destinos mais escolhidos por intercambistas brasileiros:

Top 10 países mais felizes do Mundo:

1) Noruega

2) Austrália

Continuar lendo

5 razões fazer faculdade ou pós graduação em Ottawa – capital do Canadá

12 de janeiro de 2012 | Postado por Marina em Canada

Quando o assunto é Canadá, muito se fala de Toronto, Vancouver e de Montreal! Então, neste post vou dedicar uma atenção especial a capital do Canadá: Ottawa!  Menor e menos explorada por brasileiros, é uma opção interessantísma para intercambistas;  saiba o porquê?!

1)    Ottawa é uma cidade fácil locomoção: Quando estive lá, fiquei no centro e, de lá,dá para fazer os principais atrativos andando mesmo. Isto inclui museus,  o canal Rideau, o prédio do parlamento….

2)  Bilíngüe. Mesmo tendo o inglês e o francês como línguas oficiais no país, na maioria das cidades, as pessoas são fluentes apenas em inglês (Vancouver e Toronto são ótimos exemplos disto). Já Ottawa, por ser a capital do país e, Montreal, por ser a capital da província de Quebec conseguem trabalhar bem esta questão e, quase a totalidade da população é bilíngüe!

3)   Gastrô: Muito embora seja uma cidade de porte médio, pelo fato de ser a capital do país, assim como a nossa Brasília, Ottawa é repleta de bons restaurantes. Basta dizer que a renomada escola de culinária francesa LE CORDON BLEU tem um centro em Ottawa  Aproveitando,  seguem aqui os melhores restaurantes de 2010:

Castlegarth> 90 Burnstown Rd., White Lake 613-623-3472, castlegarth.ca

Town> 296 Elgin St., 613-695-8696, townlovesyou.ca

The Wellington Gastropub> 1325 Wellington St. W., 613-729-1315, thewellingtongastropub.com

Fraser Café> 7 Springfield Rd., 613-749-1444, frasercafe.ca

The Whalesbone Oyster House> 430 Bank St., 613-231-8569, thewhalesbone.com

Atelier> 540 Rochester St., 613-321-3537, atelierrestaurant.ca

Play Food & Wine> 1 York St., 613-667-9207, playfood.ca

Bistro St. Jacques> 51, rue St. Jacques, 819-420-0189, bistrostjacques.ca

Absinthe> 1208 Wellington St. W., 613-761-1138, absinthecafe.ca

4)    Not too small and not too big: Ottawa não é uma cidade enorme e mega populosa e também não é uma cidade pequena e sem atrativos. It´s just the size it should be para ter um transito tranqüilo, ruas limpas e ótima qualidade de vida! Além disso, tem uma localização estratégica entre as grandes Toronto e Montreal então não será difícil visitar cidades maiores sempre que quiser variar;(Ottawa fica há 2h de Montreal e a 4 horas de Toronto  seja de carro ou ônibus) Se você quiser explorar cidades dos EUA a localização também é super favorável.

5)    Ensino superior de qualidade – O ALGOQUIN  é um College com mais de 18.000 estudantes localizado no centro de Ottawa onde é possível  estudantes internacionais fazerem graduação ou pós graduação  nas mais diversas áreas (negócios, tecnologia da informação, design gráfico, engenharia etc) com anuidades a partir de CAD 11.500. Se incluirmos gastos de acomodação, alimentação e transporte, 1 ano estudando por lá vai ficar por volta de CAD 23.000 ( Bastante competitivo se comparado a universidade nos EUA ou Inglaterra por exemplo) Quem representa a ALGOQUIN no Brasil é o STB

Bjs e até a próxima viagem!

Marina

TOP 10 coisas que você precisa saber sobre o Canadá:

04 de janeiro de 2012 | Postado por Marina em Canada

Inicio de ano…. Que tal mais  um post sobre o Canadá?! (O destino mais procurado por quem  busca aperfeiçoar o inglês ou o  francês com um bom custo x benefício).

Como já falei aqui no blog, passei 6 meses no Canadá no ano 2000 (nossa! Como o tempo voa: Já faz quase 12 anos…..) fazendo um curso de inglês para negócios sendo 3 meses em Vancouver e 3 meses em Toronto.

Sim!!! Eu também amo o Canadá! ( Para falar a verdade, ainda não conheci nenhum estudante que não tivesse gostado!!) Tudo lá funciona bem! A segurança, o transporte, as pessoas.. TUDO! O único “probleminha” é  mesmo o frio! Porém, com um bom casaco dá para se adaptar bem  por lá e assim passar uma temporada estudando ou até mesmo trabalhando….

As principais cidades são: Toronto, Vancouver, Montreal ou, até mesmo a capital Ottawa! Em breve, farei entrevistas com alunos que voltaram de lá mas, por agora, listo aqui os TOP 10 coisas  curiosas sobre o Canadá  para vocês que têm interesse em fazer um Intercâmbio por lá:

 

1)    Mais de 70% do país é  desabitado devido a vasta extensões de terra selvagens geladas no norte.A maioria dos 30 milhões de habitantes vive próximo da fronteira com os EUA

2)   O Canadá tem um território imenso, sendo o segundo maior país do mundo.

3)  Os esquimós recebem o nome de inuit.

4)  O Canadá possui 6 fusos horários, com uma diferença de 4:30 de uma costa à outra

5)  A moeda oficial do país é o dólar canadense

6)  As instalações elétricas são de 110 volts. Os aparelhos elétricos têm tomadas com dois ou três pinos, que servem na maioria das tomadas de parede.

7) O Canadá exige visto de entrada para passeio, trabalho ou estudos. O visto é conseguido no consulado em São Paulo.

8)  A Air Canadá é a única companhia aérea que faz vôos direto entre Brasil e o Canadá. Vôos com conexão são oferecidos pelas companhias American Airlines, United Airlines, Continental e Delta e pelas brasileiras Varig e Tam.

9)  A Embratel possui um sistema gratuito e muito prático de ligação a cobrar para o Brasil, basta ligar para 1-800-463-6656

10) O GST – imposto sobre bens e serviços é acrescido a quase todas as mercadorias, exceto alimentos básico.É possível reivindicar os 7% (GST) ao deixar o Canadá. O importante é trazer o formulário especial que deverá ser preenchido e enviado ao Canadá.O reembolso deverá ocorrer no período de 2 meses.

 Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

10 Razões para você fazer um Intercâmbio em Vancouver

28 de março de 2011 | Postado por Marina em Canada

Vancouver já foi eleita por várias vezes a cidade com melhor qualidade de vida do planeta e, fazer um intercâmbio com vista para o pacífico, com uma das temperaturas mais amenas do Canadá (no inverno, é bem menos frio que outras cidades como Toronto ou Montreal) é mesmo um privilégio. Principalmente, porque mesmo sem passar tanto frio na cidade, dá para aproveitar o melhor do inverno esquiando ou praticando snowboard nas várias montanhas ao redor da cidade (muitas delas localizadas apenas 40 minutos do centro da cidade) e, além disso, usufruir das árvores do Stanley Park, das montanhas de tirar o fôlego e de uma variedade gastronomica internacional de altíssima qualidade.

Existem várias escolas de idioma excelentes que estão localizadas no centro de Vancouver. Além disso, também tem ótimas escolas de High School (colegial) em bairros como North Vancouver, Burnaby ou West Vancouver.

Estudei por três meses na PLI (Pacific Language Institute) e fiz um curso de inglês para negócios no centro da cidade. Morei em uma casa de família em North Vancouver e todos os dias eu ia para escola de ônibus e chegava ao centro em 40 minutos.

Depois da aula, sempre ficava por ali pela Robson Street dando uma passeada, vendo as lojas ou comendo um crepe antes de voltar para casa no início da noite para jantar com a família e depois decidir se sairia ou não à noite.

Já nos finais de semana eu fazia atividades mais diurnas, sempre uma coisa diferente, além de ter esquiado muito, também fiz outros passeios bem legais que recomendo a quem for estudar por lá. Além da PLI (que foi a escola que eu estudei) recomendo também outras escolas  muito boas como: a  LSC, a ILSC e o Eurocentres.

Independente da escola escolhida e do tipo de programa (high school, curso ou estágio/trabalho), abaixo seguem os TOP 10 motivos que fazem de Vancouver uma cidade mais do que especial para fazer um Intercâmbio:

1. Vancouver no ar: Quando estiver pousando na cidade, não deixe de olhar pela janela, Vancouver impressiona pela beleza como quando estamos chegando ao Rio de Janeiro. “É bonita é bonita e é bonita….viveerrrr e não ter a vergonha de ser feliz….cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz (de viajante)…

2. Vancouver no mar: Vários cruzeiros passam por Vancouver! O Convention Centre/Cruise Terminal no harbour front tem vistas lindas do Stanley Park Grouse Mountain e do mar do pacífico.

3. Vancouver de bicicleta ou patins: Outra forma deliciosa de passear por Vancouver é pelo False Creek, da English Bay a Stanley Park e depois dentro de todo o parque (cerca de 20 km).

4.  Stanley Park. O parque tem praias, árvores, lagos e várias trilhas, além disso, vale fazer uma visita ao aquário de Vancouver e ver as orcas e as baleias. Impressionante!

5. Grouse Mountain e Capilano: Além de ser maravilhoso para esquiar, tem uma vista fenomenal da cidade, da ilha de Vancouver e do Stanley Park. No caminho pela ponte Lions Gate pare em Capilano e não deixe de fazer o passeio da ponte suspensa de capilano (Capilano Suspension Bridge).

 

6.  Downtown Vancouver. O centro de Vancouver é bem compacto e pode ser feito a pé. Eu recomendo o Heritage Walking tour, mas você pode ir por conta própria e visitar o bairro de o Gastown (e seu famoso relógio), Chinatown ou as mansões de Shaughnessy. Ah, para comer por lá, adoro o “The Old Spaghetti Factory: preço e serviço bom e comida deliciosa.

7. Creek Ferry ou Aquabus para Granville Island: Você vai encontrar artesanatos, lojas e o famoso mercado com muitos frutos do mar frescos.

8. Whisler. Whistler Blackcomb é a maior estação de esqui da América do Norte e fica localizada cerca de 2h de Vancouver. Além de boas pistas e restaurantes, à noite tem várias baladinhas cheias de gente bonita.

 

9.  Vancouver Island. Pegue um ferry de Tsawwassen para Swartz Bay que fica perto de Victoria, a capital da província de BC (British Columbia). Além de o caminho ser muito bonito, muitas vezes você tem a companhia de baleias no seu trajeto. Vancouver Island fica cerca de 2h de ferry do centro de Vancouver. Ao chegar a Victoria, visite o Hotel Empress, e o charmoso Butchart Gardens.

 

10.  Frutos do mar mais frescos do mundo. A influência da imigração oriental é fortíssima em Vancouver, por esta razão talvez a cidade tenha uma das maiores variedades de restaurantes japoneses e chineses fora da Ásia. Alem da grande variedade ofertada que merece ser degustada, não deixe de provar o sashimi de atum que é super saboroso.

Então pessoal, é isso!

Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais sobre Vancouver!

 Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

Montreal e Quebec – As vizinhas mais charmosas do mundo!

11 de outubro de 2010 | Postado por Marina em Canada

Morando em Toronto, a sensação multicultural não para por aí, se você der um pulinho até as suas vizinhas Montreal e Quebec, a sofisticação européia misturada à modernidade norte-americana formam uma combinação primorosa, tudo isto com a tão particular forma dos canadenses serem, sempre super educados e pacíficos.

 

Montreal é agitadíssima! Além das excelentes baladas existe também aquele toque francês dos cafés e restaurantes com mesas ao ar livre. Montreal é a única cidade realmente bilíngüe do Canadá, em qualquer lugar que você vá, falando em francês ou em inglês todos vão te responder…

 

Já no caso de Quebec city, você pode encontrar muitas pessoas que só falam mesmo francês, é interessante observar como a herança francesa predomina na cultura dos que nascem em Quebec, o movimento francophone que vem acontecendo na França não chega nem perto do amor as origens que sentem os “quebecois”.

 

Sentimos isto na delicada gastronomia, nas pequenas ruelas com pintores na esquina…Sem falar no belíssimo Chateau Frontenac que coroa a cidade com a sua magnitude.

 

Passeando pela charmosa cidade de Québec você vai ver placas de carro que estão a venda para turistas com a frase “Je me souviens” remontando exatamente que “eles se lembram” “se recordam de suas origens francesas…”.É claro que eu também comprei uma!

O sotaque francês dos que nascem em Quebec é inconfundível… Os “quebecois” são uma cultura à parte…Já houve até mesmo alguns tímidos movimentos separatistas, no entanto a fama dos canadenses de pacíficos e flexíveis falou mais alto nesta hora e o Canadá é um só país soberano na política e na economia, mas, com particularidades culturais únicas de cada região ou, no caso de Toronto, até mesmo de cada bairro….

 

 É importante lembrar que as cidades de Montreal e Quebec City ficam dentro da província de Quebec e esta fica ao lado da província de Ontario onde se localiza Toronto. Devido a localização favorável que permite que o passeio seja feito até mesmo em um final de semana, as charmosas cidades de Montreal e Quebec são paradas obrigatórias para os estudantes intercambistas que moram em Toronto.

Bjs e até a próxima viagem!

Marina.

Deixe-se levar por Toronto no Canadá!

04 de outubro de 2010 | Postado por Marina em Canada

A revista Fera com minha coluna de Intercâmbio de Viagens já está nas bancas!

Para quem não é de Pernambuco, a revista FERA é referência para jovens secundaristas e universitários no Estado.

Abaixo, coloco a publicação deste mês para que chegue ao alcance de todos! Nos próximos exemplares, fica aí a dica! A revista é muito legal e vale a pena conferir!

Aproveito a oportunidade para divulgar o site também:  www.portalfera.com.br 

Intercâmbio de A a Z – por Marina Motta

É com muita alegria que aceitei o convite de iniciar este projeto maravilhoso de assinar uma nova coluna na revista FERA! O nosso objetivo com este espaço é muito simples:  Ajudar os jovens que pretendem colocar o pé na estrada e conhecer o mundo fazendo intercâmbio cultural em outros países! Seremos o seu elo de comunicação para todas as novidades e informações  sobre viagens e intercâmbios ao redor do globo! Isto porque, a coluna vai dar dicas MEGA úteis sobre tudo o que envolve o processo de intercâmbio. Desde a ansiedade da preparação para viagem e as dúvidas de como arrumar a mala até os diferentes tipos de acomodação (casas de família, dormitórios estudantis, albergues etc.) e os diferentes tipos cursos oferecidos pelas escolas de idioma e programas de colegial no exterior. Além de, é claro, os programas de trabalho e estágio em países como EUA, Austrália, Canadá, Inglaterra, África do Sul etc… Além disso, daremos dicas sobre visto, passaporte, de como fazer amizades lá fora, como se organizar com relação aos gastos, como entender melhor a diversidade cultural e respeitar às diferenças para se dar bem neste mundo globalizado! Enfim, já deu para perceber que esta coluna vai ser a sua cara,não é?! Portanto, preparem-se, apertem os cintos e embarquem com a gente nesta coluna que vai ser UMA VERDADEIRA VIAGEM repleta de oportunidades e de esclarecimentos de TODAS as dúvidas que você SEMPRE quis saber (e não sabia a quem perguntar)! É isto mesmo galera! “Seus problemas acabaram!!!” não somos das “organizações TABAJARA”, mas seremos o caminho mais fácil para você se tornar um cidadão do mundo! Desse mundão que você sempre teve o sonho de conhecer e que, agora, vai estar ainda mais perto de você! Portanto, desejamos a todos uma Boa viagem. A leitura certamente irá transportá-los a vários lugares. De A a Z.

Deixe-se levar por Toronto no Canadá!                                                                

É unânime! Todo mundo que vai estudar em Toronto no Canadá fica simplesmente apaixonado por esta cidade.  Quando eu fui, tinha acabado de passar no vestibular (fera 99 em Administração e em Relações Internacionais!!!) daí, coloquei segunda entrada para fazer um curso de seis meses no Canadá.

 Escolhi o Canadá, pois primeiro é uma das opções mais baratas (o dólar é bastante favorável) e segundo, porque queria conhecer um novo país para dar um upgrade no meu inglês fazendo um curso de Business. Nestes seis meses mágicos, estudei na escola de línguas PLI (Pacific Language Institute) que tem tanto em Vancouver quanto em Toronto, por isto resolvi passar três meses em Toronto e três meses em Vancouver…Neste capítulo, vou falar apenas de Toronto e vou deixar Vancouver (que também merece um belo espaço) para uma próxima coluna.

Nas duas cidades optei por acomodação em casa de família, isto porque o contato com a família permite que você acelere (e muito!) o seu aprendizado… As conversas do dia a dia com a sua host family são tão importantes quanto a sua freqüência na escola…

Em Toronto minha família era ótima! Tinha a “mãe” o “pai” e três irmãs… Ao mesmo tempo, também estavam na casa outros dois estudantes: uma mexicana e um francês. Cada um tinha o seu quarto individual, mas era muito animado e divertido ter a casa sempre cheia! Sempre combinávamos de fazer várias coisas juntos…Andar de caiaque no lago, ir ao cinema, passar o dia em uma cidade vizinha… Minha família era de origem Irlandesa, mas outras estudantes pegaram famílias de origem filipina, grega, indiana…Uma amiga japonesa estava em uma casa de uma família de descendência marroquina gente finíssima… Um dia, fui convidada para jantar na casa dela e foi o máximo! Cuscuz marroquino regado a uma música super exótica também característica do norte da África…Isto é o que eu chamo de globalização!

Outra grande vantagem da cidade é que Toronto é perto de tudo! Você pode ir até a capital do Canadá (Ottawa), visitar as belíssimas cidades de Montreal e Quebec ou até ir até os EUA descendo até Nova Iorque e passando por Atlantic city, Washington D.C e Filadélfia e, é claro, pelas cataratas de Niagara Falls (Para isto, não se esqueça de tirar o seu visto americano também!). Eu fiz esta aventura em um final de semana com algumas amigas da escola através de uma excursão baratíssima que pegamos em Chinatown cerca de 200 dólares canadenses com viagem de ônibus, hotéis quatro estrelas e até entrada para cassino! Uma pechincha! Pena que o guia falava tudo em chinês! Mas tudo bem…Valeu mesmo assim, foi uma comédia!

 Acredito que a visão de um estudante que passa pelo menos um mês na cidade é muito diferente da de um turista isto porque, Toronto é uma daquelas cidades em que você certamente não sentirá “amor a primeira vista” isto porque, no início Toronto parece uma cidade normal, grande para os padrões canadenses, mas pequeno para os padrões brasileiros. No entanto, se levarmos em conta a diversidade cultural, gastronômica e a vida noturna que existe em Toronto, mais parece um mundo! É como se fosse uma arca de Noé com representantes de todo o globo! Isto porque assim como o Brasil, o Canadá é um país super novo, e, assim como São Paulo é natural que a cidade mais importante do país tenha uma riqueza maior de culturas incorporadas. Por isto, assim como não existe um típico brasileiro também não existe o canadense típico, principalmente em Toronto, devido a forte imigração de italianos, gregos, portugueses, indianos, chineses enfim…Tem de tudo por lá!O mais peculiar no caso específico de Toronto é que estas nacionalidades estão segmentadas por bairros bem característicos de cada povo… É como se você pudesse ter um pouquinho de cada país em uma só cidade!  Tem a little Italy, Little Portugal, Little Índia e, é claro, não podia faltar um Chinatown…

O mais incrível nesta mistura, é que temos a nítida sensação de que não há preconceito nem racismo…É como se a lendária música de John Lennon “Imagine” tivesse de fato se concretizado “Imagine all the people living today, you may say I´m a dreamer but I´m not the only one, I hope someday you will join us and the world will be as one…”

Lá você vai encontrar um típico indiano gerente de um banco, uma típica africana atendendo em uma loja chiquérrima e até um típico europeu vendendo taco na Tacobell (vale a pena ir..parece um Habib´s mexicano baratíssimo, bem no estilo fast-food…. )

As baladas de Toronto são simplesmente maravilhosas, basta você descer na St. Patrick station e vai ter uma rua repleta de boates e barzinhos super descolados.

Já quando você quiser dar um tempo de uma cidade grande, você não precisa de mais de 30 minutos de barco para chegar em Toronto Island. Eu adorava ir para lá e passar a tarde toda andando de bike ou fazendo pic-nic com o pessoal da escola.

Se você chegar no aeroporto e for pegar um táxi pode ir tranqüilo Toronto é super seguro! A criminalidade é quase zero! Você não imagina como é maravilhoso resgatar esta sensação de liberdade tão característica de países desenvolvidos…Liberdade com segurança não tem preço! Aproveite a sua enquanto estiver por lá! Você vai sentir falta quando voltar para o Brasil…

Existe um mundo lá fora! Viaje! Junte a mim nesta coluna que é uma viagem!!!

Bjos, Marina.

Marina Motta, autora do livro: Intercâmbio de A a Z (www.intercambioaz.com.br) tem 28 anos, é Internacionalista, Administradora de Empresas e gerente do depto de Intercâmbio do STB (Student Travel Bureau) em Pernambuco. Com bagagem de 11 Intercâmbios realizados de 1996 a 2001 Inglaterra, EUA, Austrália, França, Canadá e Alemanha, Marina é atuante em matérias sobre Intercâmbio nos jornais Folha de São Paulo, Estado de Minas, Estadão, Jornal do Commercio, Diário de Pernambuco, Folha de Pernambuco e O Povo, em matérias na TV Globo, SBT, Band TV Univeristária e TV Clube e revistas de circulação nacional como Viagem e Turismo, Revista Capricho, além de sites como UOL,  TV Limão, Veja. Com. entre outros.

contato@marinamotta.com.br

Intercâmbio no Canadá!

16 de junho de 2010 | Postado por Marina em Canada

O Canadá é o hoje o lugar de destino da maioria dos brasileiros que vão realizar um curso de idioma no exterior e está na segunda posição (atrás apenas dos EUA) para os programas de High School (Colegial no Exterior). Surpreendentemente, o Brasil e, principalmente, o nordeste do País (onde a diferença de clima para o Canadá e ainda maior) também ocupa as primeiras posições mundiais do processo de Imigração de profissionais qualificados promovido pela província de Quebec.

 

Então, como diz o matuto, vamos começar do começo: Quando foi que isto tudo começou e porque o Canadá se transformou em um hit entre brasileiros?

Fiz um curso de inglês para negócios por seis meses no Canadá de Janeiro a Julho de 2000. Hoje, faz exatamente 10 anos que tive a minha experiência como estudante intercambista nas cidades de Vancouver (três primeiros meses) e Toronto (três últimos meses) e, de lá para cá, tive oportunidade de voltar ao Canadá, ano passado, por motivo de trabalho e, já percebi algumas mudanças por lá!

Vamos primeiro a alguns aspectos básicos: O Canadá é o segundo maior país do mundo. As suas principais cidades e regiões habitadas fazem fronteira com os EUA e o País tem como idiomas oficiais o inglês e o Francês. No entanto, extra-oficialmente a única província que de fato fala o Francês nas ruas, restaurantes em casa etc., é a província de Quebec que tem Quebec city e Montreal como as suas principais cidades, sendo a primeira 100% francesa e a última 100% bilíngüe (inglês + Francês) sendo que com maioria de mais de mais de 60% de predominância da língua francesa. Isto quer dizer que em cidades como Vancouver, Toronto, Calgary, Ottawa, etc., o francês será estudado nas escolas de high school como idioma adicional (assim como temos o inglês ou o espanhol em algumas escolas no Brasil), mas este idioma não será ouvido normalmente em serviços como restaurantes, etc., e nas casas de família.

Por esta razão, quem pretende aprender ou estudar o francês a escolha deve ser a província de Quebec. Da mesma forma, para quem pretende imigrar no Canadá, pelo fato de Quebec ter interesse em falantes do idioma francês, já que grande parte da sua população seguiu para centros anglofones como Toronto, Quebec também apresenta estímulo para estes interessados.

E se o objetivo é aperfeiçoar o inglês no Canadá? Neste caso, as opções de cidades são inúmeras e  vão desde cidades pequenas e médias como as escolhidas por clientes mais jovens que fazem o colegial (high school) no País até os estudantes jovens maiores de 18 anos e executivos que fazem com que Toronto, Vancouver e Calgary sejam os destinos mais freqüentes.

Quando a idéia é aprender inglês e francês simultaneamente ou aprender um dos dois idiomas e você não se importar em  ouvir frequentemente ambos no dia a dia, Montreal também fica nesta lista entre os mais procurados para cursos de idiomas.

Mas, respondendo a nosso pergunta do inicio do post, porque será mesmo que o Canadá é a opção de 7 em cada 10 brasileiros que vão fazer um curso no exterior?

Primeiro lugar: Preço. De 2000 (quando fiz meu intercâmbio por lá) para cá os valores se tornaram cada vez mais atraentes no que concerne pacotes que inclui curso + acomodação em casa de família com refeições e material didático já inclusos. Este pacotinho básico é mais barato no Canadá, do que, por exemplo, na Inglaterra ou nos EUA. E o valor total envolvendo passagem aérea também fica mais em conta do que Nova Zelândia e Austrália já que  estes são destinos mais longe do Brasil e, por isto, a passagem aérea normalmente é quase o dobro para a Oceania.

O Canadá é bonito, seguro, limpo, seu povo é receptivo e gentil e o dólar canadense esta próximo ao americano, ou seja, algo como quase 2×1 em relação ao nosso Real.

Com cidades cosmopolitas como Toronto e Montreal,  belezas naturais e montanhas como em Vancouver, o Canadá é, então, a opção perfeita ,certo? Em termos: O Canadá é realmente uma opção muito boa, mas é importante que saibamos de alguns detalhes antes de optar por ele:

1)     Sim, têm muitos brasileiros, principalmente em Vancouver, Toronto e Montreal. Qual seria a alternativa? Ter força de vontade e se esforçar para não se juntar os amigos bazucas e deixar de praticar o idioma ou, no caso dos alunos de high school, ter a maturidade de escolher cidades menores, menos internacionais e realmente canadenses para que a experiência de intercambio seja o mais genuína possível.

2)     Sim, ir para a escola de manha com uma temperatura de – 40 graus negativos é mais difícil. O estudante que opta pelo Canadá tem que estar preparado não só com casacos, mas também psicologicamente para invernos rigorosos. A boa notícia é que o País é muito bem preparados para isto com transportes públicos excelentes, pontuais e totalmente interligados, visando que a gente passe o menor tempo possível exposto ao frio e, em cidades como Vancouver e, para ser mais preciso, em toda a província de British Columbia, que é banhada pelo oceano pacífico, o inverno tende a ser bem menos rigoroso, com temperaturas, muitas vezes, positivas, ou próximas a zero e com a vantagem de ter vários spots de esqui e snowboard perto da cidade.

 Ou seja, tem neve nas montanhas, mas não tem muita neve nas cidades. Situação perfeita para tirar proveito do inverno da melhor maneira possível. Como estava em Vancouver de Janeiro a Abril de 2000, quase todos os fins de semana ia esquiar em lugares como grouse mountain, cypress e, eventualmente Whistler, maior estação de esqui da América do Norte e que fica a cerca de 2h de carro de Vancouver.

3)     Diferentemente da Irlanda, da Austrália e da Inglaterra, brasileiros com visto de estudante NÃO podem automaticamente  trabalhar de forma legal no Canadá. Portanto, se seu objetivo é combinar estudo+ trabalho, minha dica é já sair do Brasil matriculado em um programa assim.]

 Existem várias opções neste sentido que propõem, por exemplo, três meses estudando+ três meses trabalhando ou seis meses estudando de manha e trabalhando à tarde.

É importante frisar que estas funções de trabalho são sempre operacionais e remuneradas e tem como objetivo principal a prática do idioma no dia a dia de trabalho e não, necessariamente,  ter uma experiência na área de formação ou juntar dinheiro. Já que o valor pago (media de CAD 10 por hora trabalhada visa ajudar na manutenção do estudante no País).

 O importante é que o seu visto de estudante tenha desde o Brasil o work permit, ou seja, permissão de trabalho. Caso contrário, conseguir isto depois que já estiver lá e,  sem estar vinculado a nenhum programa assim é muito mais difícil, na verdade, diria, quase impossível.

4)     Como já falamos o Canadá é um país grande, de dimensões continentais e, se a idéia é viajar muito para conhecer vários países (como fazemos na Europa), é importante saber que, fazendo o intercâmbio no Canadá, as possíveis viagens antes, durante ou após o seu curso seriam dentro do Canadá mesmo ou no país com o qual ele faz fronteira, os EUA. Portanto. Para quem opta por Toronto ou Montreal, apesar de serem cidades mais frias no inverno, elas ficam próximas entre si e também não ficarão longe de cidades como Ottawa, Quebec City, Niagara Falls, Boston, Chicago, Philadelphia, e até Nova Iorque (cerca de 6 h de ônibus de Montreal ou de Toronto ou apenas 1 hora de vôo).

Já Vancouver, que fica no outro extremo (cerca de 4h de vôo de Toronto) ficará perto apenas da ilha de Vancouver (vancouver island), estações de esqui como Whistler e a cidade de Seattle (EUA) que fica a cerca de 2h de Vancouver.

 Calgary, por sua vez, ficará próxima apenas de estações de esqui das montanhas rochosas e de algumas cidades canadenses como Edmonton, Jasper e outras.

5)     O Canadá é um País novo, mais novo do que o Brasil e, assim como tem a grande vantagem de não ser um lugar onde vemos muito preconceito ou discriminação,  é importante que o estudante também viaje com esta  idéia. Explico: Todas as casas de família no Canadá tendem a ter algum background (descendência) de outro País. Portanto, é comum que um dos membros seja de outro país, como por exemplo, Grécia, Marrocos, índia, Japão, Coréia.

Enfim. São imigrantes ou filhos de imigrantes que falam inglês fluentemente e que o inglês é o idioma oficial da casa. Porém, o canadense típico, assim como o brasileiro, não tem cara. Pode ser descendente de europeu, asiático, latino, indiano. Enfim. Isto é uma das coisas mais bonitas do Canadá. Todos são canadenses e não existe nenhuma diferença entre eles.

Dito isto, as opções de cursos de idiomas ou idiomas com o foco em objetivos específicos são inúmeras. Pode-se realizar desde programas básicos a partir de duas semanas de apenas idioma com carga horária mais ou menos intensiva até idiomas com ênfase em negócios, preparatórios para certificados como o TOEFL, o Cambridge ou o IELTS. Ou, ainda, fazer um curso de idioma e combinar com um estágio não remunerado em sua área de formação ou estudo. As opções de acomodação não precisam ser unicamente casas de família. Podem ser também residências estudantis ou flats. As escolas normalmente ficam no centro da cidade e as casas de família em áreas residenciais a cerca de 30 a 50 minutos do centro.

Eu estudei por seis meses no Canadá e não troco a minha experiência lá por nada! Fiquei na escola PLI e gostei muito, mas tinha amigos em outras escolas e conheci estas outras opções também: LSC, Eurocentres, ILSC, ILAC e ELS e todas tem bons professores, boas instalações, preços competitivos e escolas em mais de uma cidade o que torna  possível combinar cidades sem perder o conteúdo de estudos.

Então pessoal, espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais do Canadá! No próximo post, falaremos da Inglaterra!

Bjs e até a próxima viagem!

Marina

contato@marinamotta.com.br