Posts com a tag vivência internacional

“Mãe!Tou na Globo!” kkk- vídeo da entrevista concedida hoje ao BomDia convidando para a palestra Intercâmbio 10 passos para o sucesso!

17 de setembro de 2013 | Postado por Marina em Dicas de Viagem

Olá viajantes! tudo bem?

Muito happy postei hoje cedo no insta (segue aí @mottamarina) 0 registro da entrevista concedida ao vivo para divulgar a palestra que realizo logo mais às 18:45 h no Mar Hotel no Salão do Estudante aqui em Recife! Todos convidados eih?!

Para conferir a entrevista, basta clicar aqui!

 

Bjs e até mais tarde!
Marina.

Os 7 erros da linguagem Corporal em viagens internacionais:

12 de junho de 2012 | Postado por Marina em Curiosidades Culturais pelo Mundo

Olá viajantes! Tudo bem?!

Linguagem corporal não deixa de ser uma forma de comunicação e, quando estamos falando de Intercâmbio, choque cultural e vivência internacional estar bem informado sobre determinadas ações e reações não-verbais pode fazer a diferença, vamos aos 7 erros mais comuns:

 1) Sinais com as mãos: O sinal de OK no mergulho e nos EUA, por exemplo, pode ter uma interpretação ofensiva em outras culturas. O sinal de PAZ feito tantas vezes pela Gisele  Bündchen também pode significar “Vai para o inferno” na Inglaterra se feito ao contrário (com a palma da mão para dentro)

2) Balançar a cabeça:  De um lado para o outro nos EUA e no Brasil, por exemplo, é negativa, mas na Índia significa “sim” Tic! Já balançar a cabeça para cima e para baixo que significa “sim” nos EUA e na maioria das culturas ocidentais, na Índia significa “não”.

[Yes?No?Maybe?]

3)Sorrir: Ah mas sorrir deve sempre ser positivo, né?! Em termos…. Rir alto no Japão pode significar nervosismo e, para os japoneses, o simples ato de você sorrir pode ser interpretado como se você estivesse confuso ou raivoso. Russos consideram sorrir para estranhos em público um comportamento suspeito e gargalhar em alto e bom som costuma deixá-los ainda mais nervosos. Continuar lendo

Carreira e futuro profissional são tema de palestras promovidas pelo STB esta semana:

17 de agosto de 2011 | Postado por Marina em Intercâmbio de A a Z

Entre os dias 17 (quarta) e 19 de Agosto (sexta), estamos promovendo ciclo de palestras em Recife com o consultor de carreiras Dorival Pinotti, ex- diretor para Latin America Les Roches, renomada escola de negócios, gastronomia e hotelaria na Suíça.

O tema abordado em colégios será “Como tomar a decisão correta sobre o futuro e a carreira” e, em faculdades, a abordagem será o tema “Futuro profissional: Qual caminho seguir e como atender as necessidades que o mercado exige”.

 

Bjs!

Marina.

3 STEPS FOR SUCCESS: INTERCÂMBIO E O TRIPÉ DA CHEGADA, ROTINA E DESPEDIDA.

14 de maio de 2011 | Postado por Marina em Dicas de Viagem

Morar no exterior é sempre uma decisão interessante e corajosa. Porém, enquanto algumas pessoas se adaptam facilmente a esta nova vida, outras podem passar por um tripé de fases bastante comuns a muitos intercambistas independentemente do lugar de destino.  Pensando nisso, seguem aqui as três fases marcantes da vivência Internacional:

 1. As primeiras semanas: Tão logo chegamos ao exterior, tudo é emocionante, agitado, novo e desconhecido. E, é neste momento que começamos a conhecer o transporte público local, os melhores caminhos para a escola ou trabalho, seja de ônibus, metrô, bicicleta etc. Durante os primeiros dias, quando você provavelmente estará ainda um pouco perdido, com certeza já fará suas primeiras amizades e, superadas todas essas primeiras dificuldades, você finalmente entrará em uma rotina.

2. A rotina: Passado um tempo, tudo fica menos agitado, mas isso não quer dizer menos divertido ou menos emocionante. Agora já se sabe como encurtar os caminhos, sobra tempo para comprar um pão na padaria preferida, sem a preocupação de chegar atrasado na aula. Os melhores bares e baladas são descobertos, os encontros para práticas de esportes já fazem parte do dia a dia e já se sabe onde encontrar as informações sobre teatro, cinema e shows. Tem-se também, finalmente, tempo para se concentrar nos estudos. Claro que com a rotina acaba sobrando mais tempo para sentir saudade da família, dos amigos do seu país. Porém, com a ajuda de amigos e colegas, se supera isso e outras adversidades.

3. Despedida e Conclusão: Muitas vezes, o final desse período acaba mais rápido do que o esperado. O tempo voa. E, o momento é de refletir, mais uma vez, sobre tudo o que se passou.  O que aprendeu no tempo em que fez o curso, estudou ou trabalhou. Muitas amizades, algumas permanecerão para toda a vida, outras talvez não. Chegou o momento de se preocupar com aspectos burocráticos como o diploma e a viagem de volta. Finalmente, chegou o momento da despedida. As malas estão feitas e você está pronto para regressar ao Brasil. Às vezes, a despedida é fácil; às vezes, não é – os sentimentos se misturam muito nesse momento. A dor da despedida é compensada pela alegria antecipada de voltar a ver a família e os amigos logo.

Mesmo passando por fases distintas e momentos felizes, tristes, divertidos, difíceis etc, ao longo da permanência no exterior, às vezes, você pensará: “Eu desisto! Quero voltar pra casa!”, mas uma voz interior que sabe que vale a pena esperar, lhe convence a seguir em frente porque, no fundo você já sabe que a experiência obtida no exterior recompensa todas as fases difíceis e a saudade que aperta de vez em quando….

Além disso, uma estadia no exterior valoriza o currículo, abre portas para novas oportunidades profissionais, e permite que você conheça novas culturas, amplie vivências e faça novas amizades. Enfim, várias novas oportunidades podem surgir no embalo de uma vivência internacional.

E, às vezes, mais do que de repente, logo depois de ter voltado para casa e de ter se readaptado a sua rotina no Brasil, você já se começa a pensar novamente em viajar: Por que será?! 

Acho que porque parece que quando somos “mordidos por estes bichinhos da viagem e da curiosidade” é mesmo difícil não querer vivenciar tudo isto de novo.

Aí, é pensar que você ainda é jovem, a vida é longa e terão outros intercâmbios, outras experiências, dificuldades e alegrias que, novamente deixarão aquele gostinho de quero mais… 

Bjs e até a próxima viagem,

Marina.